Início do conteúdo

ACOLHIMENTO COM AVALIAÇÃO/CLASSIFICAÇÃO DE RISCO E VULNERABILIDADE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA EM SAÚDE: uma proposta analítica sob a perspectiva da melhoria do acesso e da qualidade

RESUMO

O acolhimento é visto, concomitantemente, como tecnologia do encontro, criando redes de conversações para resgatar um enfoque centrado no usuário, e como ação técnico-assistencial para reorganizar os processos de trabalho. Objetivou-se analisar o processo de Acolhimento na Atenção Primária à Saúde no município de Forquilha, Ceará, tendo como base os dados da Avaliação Externa dos Ciclos I e II do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB). Tratou-se de um estudo analítico e exploratório, de abordagem quantitativa a partir de um recorte no instrumento de avaliação externa do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica do Ministério da Saúde apenas com as quesitações referentes ao Acolhimento na Atenção Primária em Saúde, tanto do Módulo dos Profissionais de Saúde quanto do Módulo dos Usuários do Serviço, tendo como referência espacial o município de Forquilha, Ceará. Os dados foram compilados em planilhas do software Excel e analisados com apoio do software R versão 3.2. Os dados estão descritos por frequências absolutas e percentuais. O teste exato de Fisher foi aplicado para comparar variáveis similares obtidos nos dois ciclos do PMAQ tanto para profissionais quanto para usuários dos serviços de saúde. Quando as variáveis apresentavam mais de duas categorias a comparação foi feita utilizando o teste de Fisher – Freeman – Halton. Para a análise inferencial, adotou-se um nível de significância de 5%.Os resultados foram apresentados em tabelas, considerando a proporção do evento encontrado para o município de Forquilha, Ceará, procedendo-se às análises descritivas, com a devida verificação da distribuição de cada variável e avaliando sua amplitude e consistência. Como resultados foi encontrado que o Acolhimento está implantado na APS do município, ocorrendo todos os dias, há a avaliação de risco e vulnerabilidade no Acolhimento aos usuários, através de profissionais com capacitação para o Acolhimento. O protocolo considera queixas frequentes, problemas por ciclo de vida e captação precoce de gestantes. Há agendamento de consultas que não são possíveis de ser realizadas no dia e que não caracterizem uma urgência. Os usuários sentem-se satisfeitos com o acolhimento, conseguem ser atendidos na própria UBS quando há queixa urgente. As gestantes usuárias reconhecem o serviço como local para recebimento das queixas em urgência.

Palavras-Chave: Acolhimento. Humanização. Atenção Primária à Saúde.

Voltar ao topoVoltar