Início do conteúdo

AGENDA COMPARTILHADA PARA REORGANIZAÇÃO DO PROCESSO DE TRABALHO EM SAÚDE BUCAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO: A organização dos processos de trabalho do cirurgião-dentista na Estratégia de Saúde da Família ainda é um grande desafio a ser enfrentado pelos gestores e profissionais da Atenção Primária, uma vez que a agenda da saúde bucal é utilizada apenas para marcação de consultas e procedimentos clínicos, dificilmente envolvendo atividades educativas, coletivas, de planejamento e reuniões de equipe. Os usuários são marcados arbitrariamente, sem critérios de classificação ou estratificação de risco, sem a realização de um levantamento epidemiológico para diagnóstico situacional local e, na maioria das vezes, sem envolvimento dos Coordenadores de Saúde Bucal para organizarem os processos de trabalho, ficando a critério de cada profissional como acontece o processo de marcação de seus atendimentos clínicos. Desta forma, o objetivo deste trabalho é reestruturar o processo de trabalho em saúde bucal na Estratégia de Saúde da Família do município de Coreaú-CE, a partir da construção de uma agenda compartilhada. Para isso, foi realizada uma pesquisa de abordagem qualitativa e finalidade do tipo intervenção pedagógica, envolvendo a Coordenação de Saúde Bucal e as Equipes de Saúde Bucal do município de Coreaú-CE, Brasil. Foi realizado um grupo focal e entrevista semiestruturada para a coleta das informações, além de ter sido solicitada a participação da pesquisadora e dos participantes da pesquisa em uma reunião do Conselho Municipal de Saúde a fim de ouvir as opiniões dos representantes da população sobre a agenda da saúde bucal. Para análise das informações foi utilizada a técnica da Análise de Conteúdo descrita por Bardin (2016). Após a obtenção dos resultados, com as interpretações das informações coletadas e já tendo permitido a participação social, foi realizada uma intervenção pedagógica no cenário escolhido; para tanto, foram realizadas cinco oficinas com os participantes da pesquisa a fim de expor os resultados obtidos, debatê-los e construir o diagnóstico situacional do município, a fim de fundamentar a construção compartilhada de uma agenda em saúde bucal que atenda às necessidades da população, que respeite os princípios do SUS e que organize efetivamente os processos de trabalho em saúde bucal. Ao final das oficinas foi realizada uma avaliação destas e da intervenção como um todo, de modo a validar a agenda proposta. Posteriormente houve nova participação na reunião do Conselho Municipal de Saúde a fim de apresentar o novo modelo de agenda para a saúde bucal do município, que foi aprovado por unanimidade. Portanto, propor mudanças nas práticas em saúde bucal não é algo fácil ou rápido e apesar de não existirem protocolos preestabelecidos, é necessário interesse e participação dos usuários, profissionais e gestores, de modo a desenvolver ações que respeitem os princípios e diretrizes do SUS e que sejam adequadas às necessidades locais.

 

Palavras-Chave: Atenção Primária à Saúde. Agendamento de Consultas. Saúde Pública. Odontologia em Saúde Pública. Agenda de Prioridades em Saúde.

Voltar ao topoVoltar