Início do conteúdo

ANÁLISE DA ESTRATÉGIA AMAMENTA E ALIMENTA BRASIL EM UMA CAPITAL DO NORDESTE

RESUMO
TAVARES, S.T. Análise da Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil em uma Capital do Nordeste - 2016. 63f. Dissertação do Mestrado Profissional em Saúde da Família, Rede Nordeste de Formação em Saúde da Família, Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa, 2016. INTRODUÇÃO – Os benefícios de uma alimentação saudável na infância refletem no desenvolvimento intelectual, no crescimento adequado e na prevenção de doenças. A Organização Mundial de Saúde recomenda o aleitamento materno exclusivo, até o sexto mês de vida, e complementado, até dois anos. Contudo, ainda persistem o desmame precoce e a introdução inadequada da alimentação complementar. Para incentivar e apoiar as práticas alimentares saudáveis em crianças com menos de dois anos, na Atenção Básica, o Ministério da Saúde criou a Estratégia Amamenta e Alimenta Brasil (EAAB). OBJETIVO – Analisar a implementação da EAAB em uma capital do Nordeste brasileiro, visando identificar fatores que favoreçam ou dificultem esse processo, suas fragilidades e potencialidades. MÉTODO – Pesquisa exploratória, com abordagem qualitativa, por meio da construção e validação de um Modelo Lógico, realizada em Recife/PE, no período de abril a julho de 2016. Os participantes da pesquisa foram tutores e gestores envolvidos com a estratégia. A elaboração do Modelo Lógico seguiu três fases: análise documental; entrevistas com gestores e tutores; e construção do Modelo Lógico. RESULTADOS – O ML elaborado possibilitou a visualização da estrutura da EAAB no município, facilitou sua compreensão e funcionamento e esclareceu a inter-relação dos seus componentes. Dentre as fragilidades elencadas, destacaram-se: a falta de apoio da gestão e a estrutura física precária, que interferem diretamente na execução da estratégia. Em relação às potencialidades, destacou-se: transformação do processo de trabalho nas unidades básicas de saúde, pois, ao reformular ações de incentivo e de apoio às práticas alimentares saudáveis na infância, desenvolvidas nesses locais, haverá mais possibilidades de se alcançar os objetivos da EAAB. CONCLUSÃO – O Modelo Lógico construído tem potencial para facilitar a compreensão da EAAB, pelos gestores que têm poder de decisão sobre questões imprescindíveis para sua execução. O apoio da gestão, seja nas articulações das equipes, seja na participação nas oficinas de trabalho, pode motivar seu interesse com a EAAB, incentivar uma decisão política mais efetiva e dar suporte às unidades de saúde que se propõem a implantar a estratégia. Espera-se melhorar o desempenho dessa estratégia no município e, consequentemente, aumentar os índices de Aleitamento Materno e Alimentação Complementar Saudável entre as crianças menores de 2 anos, na perspectiva de melhorar sua vida e sua saúde.
Palavras-chaves: Atenção Básica; Aleitamento materno; Alimentação complementar.

Voltar ao topoVoltar