Início do conteúdo

ANÁLISE DOS FATORES RELACIONADOS AO DIAGNÓSTICO DO CÂNCER BUCAL NA ATENÇÃO PRIMÁRIA NA ÓPTICA DO CIRURGIÃO-DENTISTA DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO

O câncer bucal é considerado um problema de saúde pública pela sua elevada morbidade e mortalidade. A etiologia do câncer bucal é multifatorial, englobando tanto a predisposição genética como fatores ambientais e comportamentais. Este estudo teve o objetivo de analisar os fatores que podem influenciar o diagnóstico do câncer bucal, na Atenção Primária, na óptica do cirurgião-dentista da Estratégia Saúde da Família na 10ª Região de Saúde do Ceará. É uma pesquisa social de campo, transversal, de caráter exploratório, com abordagem qualitativa, realizada no período de abril a setembro de 2016. Nela foi utilizada a técnica de entrevista para coleta dos dados, assim como aplicado um questionário, com 22 cirurgiões-dentistas, sobre seu perfil sociodemográfico e de formação. Para análise dos dados, aplicou-se a técnica de Análise de Conteúdo de Laurence Bardin. Os resultados demonstraram um perfil de cirurgiões-dentistas adultos jovens, com idade de 20 a 40 anos, sendo a maior parte do gênero feminino e formados há menos de dez anos, predominantemente em faculdades privadas. A maioria é especialista clínico com vínculo empregatício sob contrato temporário. Foi detectada dificuldade de discernimento entre prevenção e diagnóstico precoce pelos participantes, 50% consideraram não ter conhecimento suficiente sobre câncer bucal e 72,7% relataram a necessidade de haver melhor capacitação desses profissionais. Dentre as principais estratégias utilizadas, estão: exame clínico das mucosas, busca ativa de lesões, ações de Educação em Saúde e trabalho em equipe. As maiores dificuldades encontradas para realizar a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer bucal foram questões relativas aos pacientes, como falta de conhecimento sobre a doença e o papel do dentista, medo, descuido com a própria saúde, baixa adesão às atividades educativas, questões culturais, dentre outras. No que diz respeito a dificuldades relativas aos profissionais, o perfil de formação e a desatualização relativamente ao tema foram os mais citados. Além disso, a grande demanda, escassez de tempo, falta de apoio da gestão, dificuldade de acesso e a desorganização do serviço foram apontadas como dificuldades relativas a este. A conduta dos cirurgiões-dentistas, ao detectar uma lesão bucal, é o encaminhamento para o serviço especializado, às vezes precedido de anamnese e/ou diagnóstico diferencial. Os profissionais geralmente registram os casos de lesões, mas não conseguem fazer um controle efetivo. O cuidado com portadores de câncer, no entanto, é pautado no acolhimento, responsabilização e vínculo. Apesar de haver uma rede de atenção em saúde bucal bem estabelecida, esta não é conhecida pelos profissionais da Atenção Primária em sua totalidade. A dificuldade de comunicação entre os pontos da Rede mostrou-se como fragilidade a ser superada. Conclui-se que políticas públicas de prevenção e diagnóstico precoce do câncer bucal devem ser implantadas. Também se faz necessário reorganizar a Atenção Primária e esclarecer a população sobre o câncer bucal e o papel do dentista na sua prevenção e diagnóstico precoce.

Palavras-Chave: Neoplasias Bucais. Diagnóstico Precoce. Atenção Primária à Saúde.

Voltar ao topoVoltar