Início do conteúdo

ANÁLISE SÓCIO-DEMOGRÁFICA E DE SAÚDE BUCAL DE IDOSOS INTEGRANTES DE GRUPOS DO SISTEMA DE SAÚDE, NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA - CE

RESUMO: O envelhecer consiste em um processo natural e singular, que recebe influências de determinantes sociais, econômicos e culturais, e vem caracterizando, cada vez mais, a sociedade brasileira. O envelhecimento saudável é pautado na manutenção e/ou recuperação da capacidade funcional do indivíduo e requer uma reconfiguração no setor saúde, especialmente na Estratégia de Saúde da Família, para acolher as novas e crescentes demandas desta população. Este estudo trata-se de um levantamento epidemiológico que buscou conhecer o perfil sócio-demográfico e de saúde bucal dos idosos participantes de grupos, que integram as Unidades de Atenção Primária em Saúde – UAPS, no município de Fortaleza, bem como a estruturação destes espaços grupais. A população pesquisada, entre os meses de maio a agosto de 2019, foi de 209 idosos e 23 coordenadores de grupos. Com os idosos foram feitas entrevistas e exames clínicos orais, obtendo-se dados sóciodemográficos e de saúde, geral e bucal, enquanto que, nas entrevistas com os coordenadores, foram obtidas informações sobre suas formações técnicas e sobre a organização e logística dos grupos. Os resultados confirmaram dados já relatados na literatura, como a feminilização da saúde, a baixa escolaridade e renda da população idosa que usa o Sistema Único de Saúde, bem como a importância deste sistema no cuidado à saúde desta população específica. Ademais, ficou caracterizado um novo perfil de saúde bucal dos idosos, com menos edentulismo e novas demandas assistenciais, mas, ainda, com dificuldades de acesso ao serviço odontológico. Além disso, os resultados consolidaram a importância dos grupos de idosos, dentro da Estratégia de Saúde da Família, como espaços promovedores de um envelhecimento saudável, mas expuseram a necessidade de realizações de capacitações técnicas específicas para os profissionais, que coordenam tais grupos no município. Conclui-se, portanto, que o envelhecimento populacional exige um sistema de saúde fortalecido e capaz de responder integralmente às suas necessidades, quer no âmbito individual quer no coletivo, como através dos grupos, e que a atenção a saúde bucal dos idosos deverá ser ressignificada, apresentando resolutividade às demandas do novo perfil odontológico, além de melhorar e garantir o acesso universal e equânime ao sistema.

 

Palavras-chave: Idoso. Saúde Bucal. Grupo de convivência.

Voltar ao topoVoltar