Início do conteúdo

AVALIAÇÃO DA ATENÇÃO À SAÚDE DA MULHER NO CICLO GRAVÍDICO-PUERPERAL NO NORDESTE DO BRASIL

RESUMO
No processo de construção do Sistema Único de Saúde se fortalece e se evidencia a importância da Atenção Primária à Saúde. Dentro desta há ações prioritárias, dentre as quais se encontra o acompanhamento pré-natal e puerperal. O presente estudo teve como objetivo avaliar a atenção à saúde da mulher no ciclo gravídico-puerperal na região Nordeste do Brasil através dos dados do Programa de Melhoria e Acesso da Qualidade da Atenção Básica. Trata-se de um estudo avaliativo, com abordagem quantitativa, no qual foram utilizados dados secundários obtidos através do banco da avaliação externa dos dois ciclos realizados pelo programa. Participaram respondendo o instrumento, 5146 profissionais de saúde em cada ciclo de avaliação, e em relação aos usuários, responderam as questões voltadas ao pré-natal, 1732 mulheres no primeiro ciclo, e 2004 mulheres no segundo ciclo. Para as variáveis correspondentes ao puerpério, participaram 1743 mulheres no primeiro ciclo, e 1952 mulheres no segundo ciclo. Os resultados foram apresentados e discutidos em dimensões voltadas a estrutura, processo de trabalho no pré-natal e processo de trabalho no puerpério. No tocante à infraestrutura, observou-se melhoria em quase totalidade das suas variáveis, tendo apenas a disponibilidade de ácido fólico regredido de um ciclo para outro. Apesar desses avanços, algumas variáveis, tais como: baixa disponibilidade de testes rápidos de HIV, sífilis e gravidez, merecem destaque. Em relação ao processo de trabalho no pré-natal, os dados mostram grande deficiência em relação à educação em saúde, destaca-se também a regressão percentual na maioria das variáveis voltadas à orientação das mulheres. No processo de trabalho no puerpério foi identificado que um grande número de mulheres não realizou consulta puerperal. Para tanto, para as que realizaram, foi identificado um avanço importante no tocante a essa realização no prazo de até 10 dias. Também foi observada regressão quando analisada à visita do Agente Comunitário de Saúde na primeira semana pós-parto. No geral, quando comparados o primeiro com o segundo ciclo do programa, percebem-se avanços, embora ainda haja desafios a serem superados.
Palavras-chave: avaliação em saúde, qualidade da assistência à saúde, acesso aos serviços de saúde, atenção primária à saúde, saúde materna.

Voltar ao topoVoltar