Início do conteúdo

AVALIAÇÃO DO PROCESSO DE LIDERANÇA EM ENFERMEIROS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE UMA MICRORREGIÃO DO NOROESTE CEARENSE

RESUMO - Objetivos: Cartografar as práticas gerenciais com foco na liderança exercida pelo Enfermeiro no território da ESF; Descrever o perfil dos Enfermeiros da ESF, considerando suas características sociodemográficas de formação e o desenvolvimento profissional; e Identificar as necessidades de educação permanente e as qualificações vivenciadas pelos Enfermeiros que influenciem na sua liderança pessoal. Metodologia: Trata-se de uma pesquisa exploratória, sob abordagem mista do tipo estudo de caso, desenvolvida com 64 Enfermeiros da Estratégia Saúde da Família dos municípios da 12ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRES) do Estado do Ceará, a qual abrange os municípios de Itarema, Jijoca de Jericoacoara, Acaraú, Cruz, Bela Cruz, Marco e Morrinhos. A coleta ocorreu no período de julho a setembro de 2019 por meio de um questionário do Google Forms®, que continha questões abertas, semiabertas e fechadas, e está dividido em sete blocos, a saber: Bloco I - Identificação sociodemográfica; Bloco II - Formação profissional; Bloco III - Acesso à informação técnico-científica; Bloco IV – Mercado de trabalho e características dos empregos; e Bloco V - Processo de Trabalho. Os resultados foram organizados em planilhas do Excel® e, em seguida, submetidos a análise dos softwares: R versão 3.5.0 (dados quantitativos) e o NVivo 11® (informações qualitativas). Resultados: 79,7% dos enfermeiros são do sexo feminino, sendo observado um processo de masculinização da profissão, 20,3%; 29,7% estão na faixa etária de 26 a 30 anos, apontando o rejuvenescimento da categoria; 18,8% possuem mais de um emprego; A formação em faculdades privadas predomina, 62,5%; 25% cursou o Técnico de Enfermagem e 76,6% cursaram ou estão cursando uma Pós-Graduação. Na modalidade de aprimoramento técnico-científico, 60,9% participaram de eventos científicos na área da saúde; 62,5% sempre acessam a internet e frequentemente via celular 79,7%. A qualificação/capacitação apontada como maior necessidade foi na área da Saúde Pública e da Família, 18,1%. No entendimento por liderança no processo de trabalho, 40,6% responderam que é ser gestor de uma equipe; 26,6% que é ter habilidades pessoais; e 20,3% que é trabalhar em equipe. Sobre as práticas de liderança exercidas na ESF, 48,4% envolvem atividades de gerenciar e coordenar a equipe na UBS, e 32,8% que envolve organizar reuniões para planejar, monitorar e avaliar as ações desenvolvidas. Entre os fatores que limitam o desempenho da competência liderança está o acúmulo da função assistencial e gerencial com 14,1% e problemas nas relações de trabalho com 12,5%. Já entre os fatores que motivam, foram citados a integração com a equipe 21,9% e a possibilidade de adquirir experiência profissional com 18,8%. Sobre a categorização do processo de trabalho apontada pelos Enfermeiros, surgiram as seguintes categorias finais: Processo de trabalho, Tempo e disponibilidade, Gratificação profissional, Habilidades, Questões políticas e administração da UBS. Os principais elementos do processo de trabalho com liderança, destacamos: equipe, assistência, resultados, processo de trabalho, tempo, coordenação, gestão, responsabilidade, resolutividade, comunicação, entre outros; baseados nas categorias finais de administrar, assistir, ensinar e participar politicamente. Conclusão: Os achados do presente estudo permitiram evidenciar que a liderança exercida pelos enfermeiros envolve o processo de influenciar pessoas com o intuito de um bem comum, a partir de um gerenciamento mais eficaz. O produto final consiste em diagnóstico situacional da região que subsidiará os gestores, criando possíveis estratégias para resolução de problemas e gerando ações cada vez mais resolutivas.

 

Descritores: Enfermagem; Estratégia Saúde da Família; Gerenciamento da Prática Profissional; Liderança.

Voltar ao topoVoltar