Início do conteúdo

CÍRCULO DE CULTURA COMO ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NA ADESÃO AO TRATAMENTO DE DIABETES MELLITUS TIPO 2 NA ATENÇÃO PRIMÁRIA.

RESUMO

Este trabalho objetivou realizar Círculos de Cultura como estratégia de educação popular em saúde para melhoria à adesão ao tratamento de Diabetes Mellitus tipo 2 na atenção primária do Município de Fortaleza, Ceará, Brasil. Apresenta aspectos teóricos sobre a doença Diabetes Mellitus, tipos, principais complicações e tratamento, além de discorrer sobre a adesão ao tratamento edicamentoso do paciente com Diabetes Mellitus tipo 2, promoção da saúde e educação popular nas práticas profissionais adotadas, destacando também os fundamentos, conceitos e as estratégias do Círculo de Cultura. Caracteriza-se como uma pesquisa do tipo exploratória, com abordagem qualitativa, utilizando como método a pesquisa-ação, tendo em vista que essa pesquisa foi desenvolvida a partir da interação entre pesquisadores e usuários, com propósito de estabelecer troca de saberes e possibilitar uma ação intervencionista através do Círculo de Cultura, com vistas à transformação das ondutas em relação à adesão ao tratamento medicamentoso. A abordagem teórico-metodológica que embasa o presente estudo é a dialética, buscando identificar as percepções dos sujeitos em seus discursos e articulando cada discurso com os outros discursos pertencentes aos usuários diabéticos, com intuito de formar um único discurso representante do todo, o Discurso do Sujeito Coletivo. O campo do estudo concretizou-se na Unidade de Atenção Primária Mattos Dourado, situada no bairro Edson Queiroz, em Fortaleza-CE. A amostra foi do tipo não probabilística e intencional, sendo utilizados os seguintes critérios de seleção: i) maiores de 40 anos; ii) considerados não aderentes pelo Teste de Morisky-Green; iii) cadastrados na (UAPS) e iv) atendidos por uma equipe de saúde na família. As técnicas utilizadas para coleta de dados foram observações livres, entrevista estruturada e Círculo de Cultura. Foi possível identificar a transformação ocorrida nos usuários diabéticos, em relação à adesão ao tratamento medicamentoso, a partir da codificação e descodificação da realidade sob a reflexão crítica. Os resultados da pesquisa mostraram que as significações negativas sobre a doença se destacaram com forte impacto emocional, com percepção de limitações importantes, repercutindo na maneira de viver. Este aspecto, porém, não atingiu a totalidade do grupo, surgindo significação positiva de felicidade e bem-estar, não permitindo portanto, interferência negativa em sua vida. Em relação à percepção sobre a adesão ao tratamento medicamentoso, reconhece-se que todos os usuários entendiam que a adesão é uma atitude de cumprir o tratamento medicamentoso, conforme o profissional de saúde orienta, embora não agisse nessa direção. Finalmente, em relação aos aspectos que dificultavam a adesão ao tratamento medicamentoso, identificaram-se os relacionados ao próprio usuário, destacando-se o esquecimento; os relacionados ao esquema terapêutico como principalmente o excesso de medicamentos; e ao sistema de saúde, enfatizado desorganização e falta frequente dos medicamentos. Compreende-se que os resultados deste estudo reforçam a importância do entendimento de que os usuários agem dentro das possibilidades da realidade que os oprime, e somente após mergulhar nessas condições concretas, consegue-se transformá-los na direção da adesão ao tratamento medicamentoso. Finalmente, conclui-se que o Círculo de Cultura como estratégia de Educação Popular, mostrou-se como uma estratégia potente para fomentar a adesão ao tratamento medicamentoso, possibilitar aos profissionais de saúde ampliar percepções sobre o compartilhamento de saberes entre a população e os serviços de saúde, e contribuir de maneira positiva no Sistema Único de Saúde (SUS).

Palavras-chave: Diabetes mellitus. Adesão ao tratamento. Círculo de cultura. Atenção primária à saúde.

Voltar ao topoVoltar