Início do conteúdo

COLABORAÇÃO INTERPROFISSIONAL NA PROMOÇÃO DE ESTILOS DE VIDA SAUDÁVEIS À POPULAÇÃO IDOSA COM DIABETES MELLITUS

RESUMO: O objetivo deste estudo foi desenvolver uma intervenção educativa de promoção de estilos de vida saudáveis à população idosa com diabetes mellitus (DM), na perspectiva da colaboração interprofissional (CIP). Trata-se de uma pesquisa do tipo intervenção, sob abordagem mista, desenvolvida, no ano de 2019, tendo como participantes os profissionais da Estratégia Saúde da Família (ESF), do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF) e os idosos com DM usuários da ESF do município de Jijoca de Jericoacoara, Ceará, Brasil. As etapas metodológicas envolvendo a população idosa foram: [i] levantamento do quantitativo de idosos com diagnóstico de DM por equipe de Saúde da Família (eSF); [ii] avaliação do perfil sociodemográfico, das condições de saúde e do estilo de vida; e [iii] desenvolvimento da intervenção educativa. As etapas metodológicas envolvendo os profissionais da saúde foram: [i] seleção da equipe com o maior número de idosos com DM no território; [ii] aplicação da Escala Jefferson de Atitudes Relacionadas à Colaboração Interprofissional (EJARCI) e, [iii] desenvolvimento da Oficina de alinhamento conceitual sobre CIP. Quanto à amostra, 70 idosos participaram da intervenção educativa, sendo a maioria de mulheres (74%). A média da idade foi de 71 anos (±7,12); 63% casados; 71% agricultores e 91% aposentados; 52% possuíam o Ensino Básico e sabiam ler/escrever. Quanto às condições de saúde: 57,14% consideraram seu estado de saúde satisfatório; 54,29% estavam com sobrepeso; as doenças associadas ao diabetes com maior percentual entre os participantes foram Hipertensão e Artrite; os sintomas e manifestações mais citados foram tristeza persistente, dores musculares e articulares e diminuição da visão. O estilo de vida foi avaliado a partir dos componentes: nutrição, atividade física, comportamento preventivo, comportamento relacional e controle do estresse. Foi realizado o cálculo da mediana de cada indivíduo para cada componente e o cálculo da amostra total por componente e por sexo. Considerou-se perfil positivo para estilo de vida os valores ≥ 2. Apenas na atividade física os participantes de ambos os sexos apresentaram perfil negativo. O diagnóstico situacional foi apresentado aos profissionais da eSF Sede I e do NASF com vistas à elaboração da intervenção educativa, na perspectiva do trabalho colaborativo e da promoção de estilos de estilos de vida saudáveis. Quanto aos profissionais, a amostra envolveu 18 participantes, sendo a maioria (83%) do sexo feminino. A média de idade foi de 34 anos (±6,26). O tempo médio de atuação na APS foi de 91,05 meses (±70,31) e o tempo médio de atuação na equipe avaliada foi de 54,77 meses (±43,52). Quanto à pontuação na EJARCI, a média foi de 100,16 pontos (±7,22). Dos achados, infere-se que conhecer as características da população com diabetes adscrita no território possibilita a prestação de uma assistência específica, qualificada e a promoção de um envelhecimento saudável. Sobre à CIP destaca-se que os profissionais possuem um entendimento conforme o que a literatura apresenta, entretanto, no cotidiano das práticas ainda existem fragilidades. Não houve correlação do tempo de atuação com o desenvolvimento de atitudes colaborativas.

 

Palavras-Chave: Atenção Primária à Saúde. Estratégia Saúde da Família. Relações Interprofissionais. Promoção da Saúde. Saúde do Idoso

Voltar ao topoVoltar