Início do conteúdo

A COMUNICAÇÃO TERAPÊUTICA NO CUIDADO AO PACIENTE HIPERTENSO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO
A comunicação terapêutica é o instrumento potencializador nas relações recíprocas e interativas, permitindo a criação de laços de confiança, empatia e vínculo que fortalecem o ato de cuidar e contribuem para uma melhoria na qualidade de vida das pessoas e da comunidade. A comunicação eficaz e efetiva torna-se determinante para o sucesso das ações direcionadas às pessoas com doenças crônicas não transmissíveis. O estudo teve como objetivo analisar a comunicação terapêutica no cuidado ao paciente hipertenso na Estratégia Saúde da Família. Realizou-se um estudo descritivo, como uma abordagem qualitativa. Participaram do estudo 14 usuários hipertensos e dois profissionais da ESF da Sede do Município de Salitre, Ceará, no período de abril a maio de 2016. Utilizou-se para coleta de dados, um instrumento elaborado para a observação sistemática não participante, contendo os grupamentos das estratégias de comunicação terapêutica: expressão, clarificação e validação. Usou-se, ainda, um diário de campo para registro das informações referentes às observações e outras anotações necessárias. O material obtido com apoio no levantamento documental, das observações e do diário de campo foi tratado pela técnica de Análise de Conteúdo de Bardin, elegendo três categorias temáticas que configuram a análise da pesquisa: Comunicação terapêutica no cuidado ao hipertenso na ESF; Compreensão dos significados atribuídos às modalidades de comunicação; e Produção do cuidado e os elementos emanados na interação interpessoal. Foram respeitados os preceitos éticos envolvendo seres humanos e submeteu-se o projeto ao Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Ceará (UECE). Pelos resultados, foram evidenciados que as estratégias de comunicação terapêutica devem ser aprimoradas na ESF, em virtude das baixas frequências durante as observações. A adoção dessa tecnologia leve abre caminhos que instrumentalizam os profissionais de saúde na utilização de novas habilidades no processo comunicacional que fortalecem a produção do cuidado. Observamos, ainda, o excesso da comunicação verbal, em detrimento dos sinais não verbais, necessitando, portanto, maior compreensão dos significados da linguagem não verbal pelos profissionais de saúde para o estabelecimento de uma comunicação mais eficaz e completa. Foram notadas na prática do cuidado relações harmoniosas e acolhedoras, permeadas por empatia, respeito mútuo, confiança e acompanhamento do hipertenso nas suas reflexões. Ainda se observou, no entanto, um cuidado centrado na atenção à doença, nas medidas prescritivas e nas informações necessárias ao controle da HAS. Em vista do que foi observado nas consultas médicas e de enfermagem, desvelou-se que as estratégias de comunicação terapêutica são pouco exploradas pelos profissionais de saúde, necessitando, portanto, desenvolver habilidades para empregá-las, adequadamente, no cuidado ao hipertenso.

Palavras-chave: Comunicação. Terapêutica. Relações interpessoais. Hipertensão; Estratégia saúde da família.

Voltar ao topoVoltar