Início do conteúdo

CONHECIMENTO DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA DO MUNICÍPIO DE ARACOIABA (CE) SOBRE TUBERCULOSE

RESUMO
Este estudo teve como objetivo avaliar o conhecimento dos profissionais da saúde que atuam na atenção primária à saúde (APS) do município de Aracoiaba-CE sobre tuberculose. Trata-se de um estudo transversal, realizado no período de fevereiro a junho de 2016, com 96 profissionais da área da saúde, sendo 11 enfermeiros, 10 médicos, 16 auxiliares/técnicos de enfermagem e 59 agentes comunitários de saúde (ACS). Foram coletadas informações sobre aspectos sociodemográficos, formação acadêmica e avaliado os conhecimentos dos profissionais sobre transmissão, diagnóstico, tratamento, cura e controle da tuberculose. A aplicação do instrumento de pesquisa foi realizada nas unidades de atenção básica do município. Os dados foram armazenados no banco de dados estruturado no programa EXCEL-2 013 e posteriormente analisados (análise descritiva). Para avaliar a existência de diferenças estatisticamente significantes foi aplicado o teste qui-quadrado ou exato de Fisher (p<0,05, SPSS 17.0). Os resultados indicaram que a maioria dos participantes de todas as categorias era do sexo feminino (87,5%), com média de idade 40,2 anos. Enfermeiros, médicos e auxiliares/técnicos de enfermagem tinha menos de 5 anos de atuação na APS e ACS mais de 10 anos. A maioria dos enfermeiros e médicos tinha pós-graduação lato-sensu, principalmente, em Saúde da Família. A maioria dos profissionais nunca realizou capacitação sobre a tuberculose. Quanto a transmissão da TB, a maioria apresentou dificuldades sobre a transmissão da TB laríngea, assim como não reconheceram as neoplasias e o diabetes mellitus como fatores de risco para TB. Quanto ao diagnóstico, a maioria dos participantes apontou principais sinais e sintomas da doença, porém apresentaram dificuldades para classificar um paciente sintomático respiratório e contatos de TB. Enfermeiros e médicos apresentaram dificuldade em apontar os exames a serem solicitados para contatos e necessidade de solicitar cultura e teste de sensibilidade. Mais de 70% dos enfermeiros e médicos apontaram corretamente os fármacos utilizados no tratamento da TB, contrastando com auxiliares/técnicos de enfermagem (50%) e ACS (13,6%). Todos os participantes apresentaram dificuldades em apontar o tempo para que o paciente com TB deixe de transmitir a doença após início do tratamento, mas obtiveram bom desempenho sobre a estratégia Directly Observed Therapy, Short-course. Com relação aos critérios de cura dos pacientes com TB, apenas quatro médicos e dois enfermeiros responderam corretamente. Todas as categorias apresentaram êxito referente as ações de controle da TB, exceto quanto a indicação da vacina BCG para contatos de pessoas com TB. Os profissionais da APS apresentaram bom desempenho em alguns parâmetros avaliados e deficiência em conhecimentos elementares e essenciais para o manejo clinico e cuidados aos pacientes, fundamentais para o sucesso terapêutico. A realização de intervenções educativas é essencial para garantir uma assistência de qualidade a população do município de Aracoiaba e cumprir com as metas estabelecidas pelo programa nacional de controle da tuberculose.
Palavras chave: Tuberculose, Atenção Primária à Saúde, Conhecimento, Estratégia
Saúde da Família

Voltar ao topoVoltar