Início do conteúdo

CORRESPONSABILIZAÇÃO ENTRE EQUIPES DE ATENÇÃO BÁSICA E NÚCLEOS AMPLIADOS DE SAÚDE DA FAMÍLIA NO BRASIL

RESUMO: Os Núcleos Ampliados de Saúde da Família e Atenção Básica (NASF-AB) foram criados pela portaria 154/2008 no intuito de aumentar a resolubilidade e o escopo de ações da Atenção Primária à Saúde (APS) através do trabalho compartilhado com as equipes de Atenção Básica (eAB). A Corresponsabilização no cuidado em saúde é fortalecida pelo matriciamento que utiliza conceitos de trabalho compartilhado, cogestão e interdisciplinaridade. Diante dos desafios e das expectativas relacionadas ao NASF-AB, torna-se importante a realização de pesquisas que abordem e ampliem as discussões sobre corresponsabilização e que ajudem a melhorar a resolubilidade da APS. Esse estudo teve como objetivo avaliar o processo de trabalho do NASF-AB com ênfase na corresponsabilização com as eAB. Trata-se de um estudo ecológico, transversal com abordagem avaliativa, com a participação de 1.774 equipes de NASF-AB e 17.157 eAB que receberam apoio do NASF-AB e aderiram ao segundo ciclo do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) no período de 2013/2014 e que foram submetidas à avaliação externa do programa. Todas as análises estatísticas foram feitas no pacote STATA (Statacorp LLC), versão 14.0. A região Norte teve o menor índice de adequação com percentual de 51.13% paras as equipes de NASF-AB e de 35,01% para as eAB avaliadas, a região Sudeste obteve os melhores resultados com 59,91% de adequação para as equipes de NASF-AB e de 74,20% para as eAB, o indicador com a pior performance para as eAB foi o de acesso com 22,05% de adequação e para as equipes de NASF-AB foi o de monitoramento e avaliação com 19,80%, o indicador com melhor resultado para ambas as equipes foi o de visita domiciliar com os percentuais de adequação de 86,85% e 90,79% respectivamente para as eAB e para as equipes de NASF-AB. Conclui-se que a maioria das equipes do NASF-AB do Brasil não trabalham de forma compartilhada e baseada no matriciamento com as eAB.

 

Palavras-chave: Atenção Primária à Saúde. Decisão compartilhada. Saúde da Família.

Voltar ao topoVoltar