Início do conteúdo

CUIDADO INTEGRAL AO ADOLESCENTE NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE

RESUMO

O cuidado integral ao adolescente na Atenção Primária à Saúde, apesar das políticas públicas destinadas a essa população, ainda está precarizado. Apesar de as especificidades inerentes à adolescência, por si sós, justificarem a priorização dessa população dentre as ações da ESF, os adolescentes não são contemplados com programas a eles direcionados. Sua participação nas discussões sobre seu cuidado ainda é incipiente ou inexistente na maioria dos planejamentos e ações. Torna-se necessária, portanto, a participação dos sujeitos implicados nos processos de tomada de decisões, para que se tenha resolubilidade no cuidado integral à população adolescente na APS. Assim, o objetivo deste estudo é analisar como acontece o cuidado integral à saúde do adolescente na Atenção Primária à Saúde. Como objetivos específicos, a percepção dos adolescentes sobre seu cuidado na APS e a percepção dos profissionais de saúde sobre o cuidado integral ao adolescente na Estratégia de Saúde da Família. Este é um estudo descritivo, com abordagem qualitativa, realizado em Fortaleza, na Secretaria Regional V, no território da Unidade de Atenção Primária à Saúde José Paracampos, que tem sob sua responsabilidade uma população de 31.138 pessoas. A coleta de informações aconteceu no período de maio a junho de 2016. Participaram da pesquisa 21 adolescentes na faixa etária de dez a 19 anos, e 12 profissionais de saúde da ESF (enfermeiros, médicos e dentistas). Para a coleta de informações, recorreu-se à entrevista semiestruturada com os profissionais de saúde e a duas oficinas com os adolescentes, que tiveram como temas: 1ª. Necessidades em saúde; 2ª. Percepção sobre seu cuidado na APS. As informações coletadas foram tratadas pela Análise de Conteúdo Temático, segundo Minayo. Este estudo foi submetido à apreciação do Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Ceará e obteve aprovação, sob Parecer número 1.532.805. Após organização das informações coletadas, surgiram três grandes temas: Percepção dos profissionais da ESF acerca do cuidado integral ao adolescente, que traz a visão de cuidado integral como responsabilização do sujeito e do coletivo direcionado pelas necessidades biopsicossociais no seu contexto social, cultural e econômico; Cuidado ao adolescente na Unidade de Atenção Primária á Saúde: a integralidade nas ações de saúde com foco no processo do trabalho, no acolhimento, na intersetorialidade, no vínculo, no trabalho em equipe, e trazendo algumas estratégias para acontecer; e Percepção dos adolescentes sobre cuidado integral à sua saúde na AP, trazendo a concepção de saúde e doença e suas contribuições para o direcionamento das ações relativas ao seu cuidado na APS. Como resultados, dentre outros, surgiram, pelos profissionais de saúde, a angústia, no momento, com a organização do processo de trabalho na ESF como causador primário das dificuldades na realização do cuidado integral ao adolescente; o compromisso dos médicos e enfermeiros que, apesar das dificuldades, veem a possibilidade de ser realizado o cuidado integral focalizado; as necessidades em saúde dos adolescentes, por eles citadas, focadas na promoção de saúde.

Palavras-chave: Cuidado integral. Adolescente. Atenção primária à saúde.

Voltar ao topoVoltar