Início do conteúdo

CUIDADO TRANSPESSOAL DE ENFERMAGEM NO DOMICÍLIO ÀS VÍTIMAS DE ACIDENTE DE TRÂNSITO

RESUMO

O cuidado de enfermagem no ambiente domiciliar permite que o profissional conheça os determinantes sociais em que vivem, o ser cuidado e seus familiares/cuidadores, porque se depara justamente com a sua cultura, sua identidade e suas condições de vida, favorece o diálogo, a troca de saberes, proporcionando ao profissional enfermeiro, ser cuidado e cuidadores a construção de um plano de assistência alternativo, fazendo com que os mesmos colaborem com o tratamento, tornando-os corresponsáveis em razão da recuperação da saúde, submetendo aos envolvidos uma terapêutica efetiva, integral, responsável, ética, humanizada e sustentável. Nesse contexto, desenvolveu-se uma pesquisa-cuidado de abordagem qualitativa com o objetivo principal de descrever a implementação do cuidado a pessoas vítimas de acidente de trânsito em acompanhamento domiciliar aplicando o Modelo de Cuidado Transpessoal de Enfermagem Domiciliar proposto por Fávero e Lacerda (2013), nas suas quatro fases: contato inicial, aproximação, encontro transpessoal e separação, apoiada na Teoria do Cuidado Transpessoal de Jean Watson e os elementos do processo Clinical Caritas.A coleta das evidências foi instrumentalizada por meio de entrevistas semiestruturada, observação participante e diário de campo que foram aplicadas e anotadas durante os encontros nos domicílios, os quais foram organizados a partir da análise de conteúdo de Bardin (2011). Participaram do estudo cinco vítimas de acidentes de trânsito, com faixa etária acima de dezoito anos, cujo cuidados eram restritos ao domicílio, tendo em vista a incapacidade destes em cuidar-se. Foram realizados quarenta e oito encontros no período de abril a junho de 2016, sendo uma média de nove encontros. O processo foi experienciado aplicando o Modelo de Cuidado Transpessoal no Domicílio; identificando os conceitos que o embasavam, as suas potencialidades e fragilidades e as suas contribuições, reconhecendo as reais necessidades dos participantes e de seus cuidadores familiares, assim como a destreza da prática do profissional enfermeiro na assistência domiciliária. Cada etapa proposta no modelo, simultaneamente as etapas da pesquisa foram aplicadas comedidamente e evidenciou-se a facilidade da aplicação do método ao modelo devido apresentarem as mesmas etapas; o modelo revelou-se como um importante e essencial instrumento para as práticas atuais sobre o cuidado de enfermagem; os elementos do processo clinical caritas foram guias que proporcionaram segurança para a adoção de uma postura respeitosa às reais necessidades dos participantes da pesquisa e de seus familiares, assim como, para alcançar a transpessoalidade do cuidado. Pode-se constatar que o domicílio funcionava como um espaço de relações afetuosas entre seus membros que acelerava o processo de recuperação. Dessa forma, pode-se atestar que o Modelo de Cuidado Transpessoal em Enfermagem no Domicílio corrobora para uma visão ampliada sobre a essência do cuidado, exigindo do enfermeiro uma postura desperta, perspicaz, cônscia e responsável, frente a profissão de enfermagem que se propõe a cuidar da vida de outro ser humano em um devir harmonioso.

Palavras-chave: Teoria de Enfermagem. Cuidados de Enfermagem. Enfermagem Domiciliar. Acidentes de Trânsito. Promoção da Saúde.

Voltar ao topoVoltar