Início do conteúdo

EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA ADOLESCENTES ESCOLARES: COLABORAÇÃO INTERPROFISSIONAL NA CONSTRUÇÃO DO SABER-FAZER NO NÚCLEO AMPLIADO DE SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO: A educação em saúde para adolescentes escolares pela equipe do Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica – Nasf-AB se constitui o objeto desta investigação. O objetivo geral: desenvolver junto à equipe do Nasf-AB reflexões e propostas para o desenvolvimento de ações de educação em saúde com adolescentes escolares. Trata-se de uma pesquisa-ação, numa perspectiva colaborativo-crítica, com base nos pressupostos da tradição qualitativa de pesquisa social em saúde. Foi realizada com 19 profissionais atuantes no Nasf-AB e residentes do Distrito de Saúde I, na Unidade de Atenção Primária à Saúde Joaquim Braga, situada na sede do município de Caucaia, Ceará, durante o período de janeiro a julho de 2019. As estratégias de co-produção das informações foram rodas de conversas e oficinas, registradas em diário de campo, além de entrevistas semiestruturadas. A organização e análise do material empírico resultaram na definição de três categorias temáticas (Território e Saúde do Adolescente; Educação em Saúde para adolescentes no território e Pavimentando caminhos possíveis para colaboração interprofissional na educação em saúde com adolescente). Percebeu-se que ainda existem lacunas nas práticas de cuidados integral destinadas aos adolescentes de forma continuada na perspectiva da colaboração interprofissional na atenção primária à saúde. Durante as rodas de conversas e as entrevistas foram identificados, através de espirais cíclicos, reflexivos metamorfoses em ato, o que favoreceu o pensar sobre a prática. Desse modo, durante as entrevistas percebeu-se que há necessidade de ressignificar a adolescência no mundo hodierno e de fortalecer os vínculos das relações entre pais de adolescentes. Os profissionais identificaram entraves que consideram como transponíveis, como a lacuna no processo formativo, e que a falta de manejo em lidar com o público adolescente pode ser aprimorada com a Educação Permanente em serviço, tornando-se relevante que as ações de saúde do profissional correspondam às necessidades de saúde dos adolescentes e não à demanda de saúde da comunidade se adequar expertise formativa da categoria profissional. Nesse sentido, foram definidos os temas centrais para as ações de educação em saúde com os adolescentes escolares, que constituiu um plano de ação para o Nasf-AB, com base na escuta de suas necessidades, ouvindo-se, inclusive os professores nas escolas. Mostra-se relevante a implementação do plano que foi construído de modo colaborativo durante esta pesquisa.

 

Palavras-chave: Adolescente. Atenção Primária. Educação em Saúde.

Voltar ao topoVoltar