Início do conteúdo

EFETIVIDADE DO USO DA Curcuma longa L. ADICIONADA DE PIPERINA NO CONTROLE METABÓLICO DE PESSOAS COM DIABETES ACOMPANHADAS NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA: ENSAIO CLÍNICO CONTROLADO.

O diabetes mellitus (DM) consiste em um distúrbio metabólico caracterizado por hiperglicemia persistente, decorrente de defeitos na secreção ou na ação da insulina. Esta enfermidade traz um relevante impacto financeiro para os sistemas de saúde e uma redução na aptidão física e na capacidade funcional dos indivíduos. Assim, além dos cuidados já padronizados e tratamentos farmacológicos tradicionais, outras terapias adjuvantes vêm sendo promissoras no tratamento da doença e suas complicações. A fitoterapia é uma dessas terapias. Dentre as plantas medicinais, a Curcuma longa L. está ganhando um interesse crescente na comunidade científica por apresentar diferentes efeitos farmacológicos e biológicos que foram descritos por alguns estudos. Entretanto, a literatura carece de pesquisa conclusivas, com metodologias robustas, em pessoas com diabetes mellitus tipo 2 e, principalmente, no cenário nordestino. Diante disso, este estudo teve como objetivo analisar a efetividade do uso da cúrcuma adicionada de piperina no controle metabólico de pessoas com diabetes tipo 2 acompanhadas na Estratégia Saúde da Família (ESF). Trata-se de uma pesquisa experimental, do tipo ensaio clínico, controlado e duplo-cego. O recrutamento dos sujeitos ocorreu nas Unidades de Atenção Primaria a Saúde (UAPS) da cidade de Tabuleiro do Norte, no estado do Ceara. A população foi constituída por pacientes adultos, de ambos os sexos, com diagnóstico médico de DM2, cadastrados e acompanhados pela Atenção Básica do município. A amostra foi composta por 61 participantes, alocados em dois grupos, sendo um controle (n=28) e um experimental (n=33). Foram coletados dados sociodemográficos, variáveis antropométricas, clínicas e relacionadas aos exames laboratoriais. O grupo experimental foi submetido ao uso de cápsulas contendo Curcuma longa L. adicionadas de piperina, 01 cápsula ao dia, em jejum. Por sua vez, o grupo controle fez uso de placebo. As intervenções tiveram duração de 4 meses e, para se obter a efetividade do fitoterápico, as variáveis relacionadas ao controle metabólico (glicêmico, controle lipídico, dados antropométricos e pressão arterial) foram coletadas e comparadas em três momentos: linha de base (T0), 2 meses (T60) e 4 meses (T120), após início da intervenção. O presente projeto de pesquisa foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual Vale do Acaraú, sob parecer nº 2.910.157. A análise estatística foi realizada utilizandose os testes t e qui-quadrado pareados e independentes. Após a suplementação da curcumina houve uma redução significativa na média das seguintes variáveis: na glicemia venosa de jejum, passando de 203,9 mg/dl para 197,3 mg/dl, (p=0,013), na hemoglobina glicada, de 8,6% para 8,5% (p=0,015) e no triglicerídeo, de 235,3 mg/dl, para 186,2 mg/dl (p=0,002). Houve melhora nos níveis de HDL-C e LDL-C entre os participantes que usaram cúrcuma, porém essa melhora não foi estatisticamente significante. Na resistência à insulina, o índice HOMA-IR reduziu, significativamente, no grupo experimental, passando de 6,1 para 5,5 (p=0,037). Conclui-se que o uso da Curcuma longa L., na dosagem e no tempo determinados para esse estudo, foi efetivo no controle glicêmico e lipídico de pessoas com DM2 acompanhadas na ESF.

Palavras-chave: Diabetes mellitus tipo 2. Atenção Primária à Saúde. Curcuminoides. Fitoterapia.
 

Voltar ao topoVoltar