Início do conteúdo

EFETIVIDADE DO USO DA FARINHA DO ALBEDO DO MARACUJÁ AMARELO (Passiflora edulis) NO CONTROLE METABÓLICO DE PESSOAS COM DIABETES TIPO 2 ACOMPANHADAS PELA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

O diabetes mellitus e uma das principais causas de mortalidade e de hospitalizaçao no Sistema Único de Saude (SUS), em funçao do prevalente crescimento no numero de casos, diagnostico tardio e dificuldade do controle glicemico. Intervençoes inovadoras e efetivas devem ser implementadas na tentativa de manter a doença sob controle, alem de reduzir os gastos financeiros, melhorando, assim, a qualidade de vida dessas pessoas. O objetivo do presente estudo foi analisar a efetividade do uso da farinha do albedo do maracujá amarelo no controle metabólico de pessoas com diabetes mellitus tipo 2. Trata-se de uma pesquisa experimental, do tipo ensaio clínico, controlado e duplo-cego. O recrutamento dos participantes ocorreu nas Unidades de Atençao Primaria a Saude (UAPS) da cidade de Tabuleiro do Norte, no estado do Ceara. A populaçao foi constituı́da por adultos, de ambos os sexos, com diagnostico medico de DM2, cadastrados e acompanhados pela Estratégia Saúde da Família. A amostra foi de 56 participantes, distribuídos em dois grupos (n=28, cada), sendo um controle (GC) e um experimental (GE). Foram coletados dados sociodemograficos, variaveis antropometricas, clínicas e exames laboratoriais. Os participantes do GE foram submetidos ao uso de 09 cápsulas/dia contendo farinha do albedo do maracujá amarelo, tomando 03 cápsulas antes das principais refeiçoes, enquanto o GC fez uso de placebo. As intervençoes tiveram duraçao de 4 meses. A efetividade foi avaliada em três momentos (T0, T2 e T4), por meio das variáveis laboratoriais, além dos dados antropométricos e da pressao arterial. A análise estatística foi realizada utilizando-se os testes t e Qui-quadrado pareados e independentes. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa (CEP) da Universidade Estadual Vale do Acaraú, sob parecer nº 2.469.737. Os resultados demonstraram que o uso da farinha do albedo do maracujá, 4,5 g/dia, por 120 dias, reduziu significativamente a glicemia venosa de jejum (p=0,006) e a hemoglobina glicada (p=0,029). Em relação ao controle lipídico, constatou-se melhora nos níveis de LDL-C e HDL-C, porém sem significância estatística. Ademais, em relação à resistência insulínica, não foram constatadas mudanças significativas nos valores basais de insulina e HOMA-IR. Conclui-se que o uso da farinha do albedo do maracujá amarelo se apresentou efetivo no controle glicêmico, porém no controle lipídico não mostrou a mesma efetividade. 

Descritores: Diabetes mellitus tipo 2. Passiflora. Fitoterapia.
 

Voltar ao topoVoltar