Início do conteúdo

EFICÁCIA DOS ATENDIMENTOS À SAÚDE DA MULHER NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA DE FORTALEZA

RESUMO
Ao longo dos anos verificamos melhoria na assistência à Saúde da Mulher, entretanto alguns indicadores relacionados à assistência pré-natal ainda permanecem insatisfatórios. Essa conjuntura nos levou a estabelecer como objetivo analisar as características das Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS) e os indicadores de desempenho e monitoramento da área da Saúde da Mulher, produzidos pelas equipes da Estratégia Saúde da Família (ESF) do município de Fortaleza. Trata-se de uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa. A coleta de dados deu-se em maio de 2016, por meio do Sistema de Informação da Atenção Básica (SIAB) tendo como referência as informações do ano de 2014 e dos primeiros cinco meses de 2015, das equipes da ESF, com ou sem equipe de Saúde Bucal em sua composição, pertencentes às 93 UAPS. A amostra foi de 184 equipes da ESF, selecionadas aleatoriamente para representar as micro-áreas cobertas por Agente de Saúde. Utilizamos indicadores do instrumento validado do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ-AB) para traçar o perfil das unidades alvo de análise. Os dados foram submetidos aos testes de Kolmogorov-Smirnov e de Mann-Whitney e/ou Kruskall/Wallis e analisados por meio do teste do qui-quadrado ou exato de Fisher. As análises foram realizadas no SPSS 17.0 para Windows. Nos resultados, em relação às características das UAPS, identificou-se que 60,2% foram reformadas e 79,5% possuíam prontuário eletrônico implantado. Entre as equipes da ESF estudadas, 30,4% participaram do segundo ciclo do PMAQ, 60,3% pertencem a UAPS reformada, 79,3% possuem PEP implantado e 35,3% possuem equipe de Saúde Bucal. Quanto à qualidade do pré-natal, 87,4% das equipes apresentavam gestantes com sete ou mais consultas de pré-natal, 3,9% das equipes apresentavam todas suas gestantes com vacina em dia e 11,7% das equipes possuem todas suas gestantes acompanhadas em visita domiciliar, 110 equipes pertenciam à UAPS reformada e destas 86,4% apresentavam gestantes com sete ou mais consultas de pré-natal. Conclui-se que os resultados poderão induzir em certa medida a reorientação do modelo de atenção a saúde, bem como, a maior organização do serviço com vistas a implementação de ações voltadas para o aprimoramento das práticas de atendimento.
Palavras-chave: Saúde da Mulher. Estratégia Saúde da Família. Assistência à Saúde.

Voltar ao topoVoltar