Início do conteúdo

ENFRENTAMENTO À TUBERCULOSE: UM PLANO DE INTERVENÇÃO PARA APOIAR OS ENFERMEIROS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA.

RESUMO

A luta contra a tuberculose (TB) tem atravessado o tempo com suas estratégias e ações de controle no intuito de combatê-la. Objetivou-se elaborar um plano de intervenção, juntamente com os enfermeiros da Estratégia Saúde da Família, com vistas a melhorar as ações de combate à tuberculose no município de Ibiapina, Ceará. Para tanto realizamos um diagnóstico situacional quanto ao processo de trabalho no enfrentamento à tuberculose, e a partir das dificuldades e vulnerabilidades identificadas, desenvolvemos oficinas educativas para discussão e propor ações, estratégias e ferramentas para o controle e combate da tuberculose. Com abordagem qualitativa, e tendo com referencial metodológico a CBPR, a coleta dos dados foi intermediada por grupos focais, buscando-se a compreensão do processo de trabalho no combate a tuberculose, e oficinas educativas, organizadas para propiciarem identificação dos problemas prioritários e reconhecimento dos nós críticos e falhas no processo de enfrentamento a tuberculose e, assim, colaborar na organização do serviço, culminando com a proposição de ações e estratégias que visaram superar as dificuldades nesse processo. Foram realizados dois grupos focais e quatro oficinas, que foram gravadas apenas em áudio por meio de uma gravador portátil. Os dados resultantes dos encontros com os enfermeiros foram submetidos a análise temática e categorizados. Foram ainda respeitados os preceitos da Resolução 466/2012 do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA). Pode-se inferir que os enfermeiros enfrentam dificuldades diversas e complexas no controle e combate à tuberculose, corroborando para a ineficiência das ações preconizadas pelo programa nacional de controle da tuberculose. Logo, os resultados dessa intervenção, juntamente com os enfermeiros da ESF, geraram propostas de ações, estratégias que buscaram reorientar as práticas na atenção à TB, auxiliando, na busca ativa de sintomáticos respiratórios, no diagnóstico precoce, na implantação do tratamento diretamente observado (TDO), além da construção de um fluxograma analisador que visasse a organização do processo de trabalho das equipes, bem como a definição de uma rede articulada, com responsabilização dos atores envolvidos no combate à tuberculose.

Descritores: Tuberculose, Saúde da Família, prevenção e controle.

Voltar ao topoVoltar