Início do conteúdo

A EPIDEMIA DE AIDS NO ESTADO DO MARANHÃO: ANÁLISE ESPAÇOTEMPORAL

RESUMO: A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida é um importante problema de saúde pública, em função do seu caráter pandêmico e sua gravidade, com alastramento expressivo nas regiões mais pobres do planeta. Neste trabalho, objetivou-se analisar a distribuição espaço-temporal dos casos de aids no Estado do Maranhão-MA. Trata-se de um estudo ecológico dos casos de aids notificados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação no período de 2011-2018, tendo como unidade de análise os municípios do estado. Foram calculadas as incidências brutas e ajustadas pelo método bayseano empírico local. Para o cálculo, considerou-se como numerador a média dos casos de aids ocorridos no município e como denominador, a média da população residente no respectivo município, multiplicado por 100 mil. Os Índices de Moran Global e Local foram calculados para observar a existência de autocorrelação espacial dos casos de aids e para delimitação de aglomerados de alto e baixo risco. As análises estatísticas foram realizadas no software GeoDa versão 1.14.0 e os mapas foram construídos no software QGIS 3.6.2. Durante o período do estudo foram notificados 6.349 casos de aids, os quais se distribuíram de forma heterogênea, sendo que esta distribuição não se deu de forma aleatória, apresentando áreas de alto risco concentradas principalmente nos municípios da mesorregião Norte e Centro, de baixo risco nas mesorregiões Leste e Sul. O estudo permitiu identificar áreas prioritárias para investimentos em saúde, evidenciando aspectos importantes a serem considerados em termo de gestão e organização dos serviços de saúde visando garantir equidade e integralidade no cuidado às populações que vivem com HIV/aids nessas localidades.

Palavras-chave: Análise espacial. Epidemiologia. Síndrome da imunodeficiência adquirida.

Voltar ao topoVoltar