Início do conteúdo

ESPAÇOS PÚBLICOS DE LAZER PARA PRÁTICAS CORPORAIS: UM OLHAR SOBRE O TERRITÓRIO NA ATENÇÃO BÁSICA

RESUMO: Este estudo se propôs a fazer uma investigação dos espaços públicos de lazer e atividade física nos territórios de atuação do Núcleo Ampliado à Saúde da Família na Atenção Básica, da zona norte do município de Teresina, Piauí. Caracteriza-se por ser do tipo descritivo e transversal. A primeira por meio de análise documental dos espaços existentes na Superintendência de Desenvolvimento Urbano e Secretaria Municipal de Esporte e Lazer, na segunda etapa foi realizada pesquisa de campo junto aos Agentes Comunitários de Saúde, matriciados pelo NASF-AB, e por fim, visitas in loco dos espaços identificados na primeira etapa anterior. O público alvo deste estudo foram os agentes comunitários de saúde (ACS) que atuam na ESF e esta amostra totalizou 42 profissionais. Para o mapeamento dos espaços relacionados a atividades físicas e práticas corporais, disponíveis no território, foi utilizada uma ficha de investigação, contendo questões relativas à localização/identificação: localização/endereço, atividades desenvolvidas, dias e turnos com realização de atividades, público alvo, profissionais envolvidos e caracterização do espaço físico. Os dados identificados foram digitados em planilha Excel, para posterior inserção e análises estatísticas no software SPSS, versão 22.0. Foram identificados 20 espaços públicos de lazer. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa Humana da Universidade Federal do Piauí e autorizada pelos locais do estudo. Os resultados mostraram que a maior parte dos espaços (40%) têm condições de uso, contudo, falta algum tipo de equipamento ou estrutura para a prática de atividades físicas, além da presença em grande quantidade de atributos que tornam estes espaços inseguros e mal conservados. Surge a necessidade de investimentos pelo poder público na inserção destes espaços, de forma ordenada, nas diversas regiões de seu controle fiscal. Por fim, a pesquisa tem o intuito de munir as equipes de ESF na compreensão da dinâmica das orientações e indicações da prática de atividade física para os usuários assistidos.

Palavras-chaves: Atenção primária à saúde; Espaços urbanos; Atividade física.

Voltar ao topoVoltar