Início do conteúdo

HANSENÍASE: DESAFIOS DA ATUALIDADE PARA MELHORIA DO SERVIÇO NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO: A hanseníase é uma doença crônica, infectocontagiosa, negligenciada, estigmatizada e um grave problema de saúde pública. Esta pesquisa objetivou a construção de um plano de ações de controle da hanseníase junto aos profissionais da Estratégia Saúde da Família e Núcleo de Apoio à Saúde da Família (NASF: fisioterapeuta, educador físico, psicólogo e terapeuta ocupacional) de uma Unidade de Atenção Primária à Saúde considerada de média endemicidade para hanseníase, em Fortaleza-CE, no ano de 2019. Nos últimos cinco anos, diagnosticaram-se mais casos de hanseníase multibacilares do que paucibacilares e, em 2018, uma criança com diagnóstico de hanseníase paucibacilar, portanto, em situação de diagnóstico tardio. Este é um estudo qualitativo com abordagem exploratória, que utiliza a pesquisa-ação como metodologia. Para a coleta de dados, inicialmente, foi utilizado um questionário autoaplicado para caracterizar o perfil dos profissionais atuantes, com posterior análise dos questionários para a organização das oficinas. Foram realizados encontros de acordo com as categorias profissionais e, para isto, utilizaram-se: o círculo de cultura, com os agentes comunitários de saúde; e oficinas, com os demais profissionais – de nível superior (médicos, enfermeiro/as, cirurgiões-dentistas e NASF) e de nível médio (técnicos de enfermagem e auxiliares de saúde bucal). Para a interpretação do material coletado, utilizou-se a análise de conteúdo. Pôde-se perceber que há deficiência de capacitação para os profissionais atuantes na Estratégia Saúde da Família, principalmente enfermeiros e médicos; também ficou evidente a falta de conhecimento acerca da hanseníase nas categorias dos técnicos de enfermagem e auxiliares de saúde bucal. Aplicadas as oficinas, adquiriu-se maior segurança na conduta prática com os pacientes e seus contatos, através da utilização dos instrumentos construídos, do conhecimento devido às atualizações e práticas, ocasionando maior segurança quanto à temática. Quanto às ações e atitudes dos profissionais, percebeu-se significativa mudança com a melhoria do conhecimento, além de um olhar diferenciado sobre a observação dos usuários. Foram disponibilizadas mais vagas na agenda, o que ampliou o acesso ao serviço. Com a construção do fluxograma interno da Unidade de Saúde, evidenciou-se: como ocorre o caminhar do paciente em busca do seu atendimento; uma melhoria na avaliação de incapacidade pelas enfermeiras e enfermeiro, com a presença de médicos e fisioterapeuta, ocorrendo um atendimento multiprofissional ao paciente. A educação 7 permanente em hanseníase é, portanto, primordial para os profissionais da atenção primária à saúde para que ocorra a detecção precoce de casos novos, redução da transmissão da doença dentro da comunidade e redução dos riscos de desenvolvimento de grau de incapacidade física, seja por diagnóstico tardio ou reação hansênica.

 

Palavras-chave: Hanseníase. Lepra. Estratégia Saúde da Família. Busca de comunicante. Educação Permanente.

Voltar ao topoVoltar