Início do conteúdo

A HUMANIZAÇÃO DA SAÚDE NO COTIDIANO DE USUÁRIOS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO
A presente pesquisa parte do pressuposto de que, para mudanças nas práticas em saúde direcionadas ao cuidado integral, são de fundamental importância a humanização, a participação e a autonomia dos usuários. Neste sentido, investigou o tema da humanização envolvendo usuários da Estratégia Saúde da Família (ESF) do município de Mossoró, tendo como objetivos: analisar as percepções dos usuários sobre a humanização na produção do cuidado em saúde no cotidiano de um território da Estratégia Saúde da Família e, a partir destas percepções, identificar elementos que caracterizam práticas cotidianas humanizadas e não humanizadas na produção do cuidado em saúde; relacionar as percepções dos usuários sobre humanização com as noções sobre clínica ampliada e participação social presentes na Política Nacional de Humanização (PNH); identificar dificuldades e potencialidade na produção do cuidado em saúde na perspectiva da humanização. Foi uma pesquisa de abordagem qualitativa que para a coleta dos dados utilizou a Metodologia de Análise de Redes do Cotidiano (MARES), o que possibilitou a problematização das práticas de saúde através de uma discussão interativa envolvendo os sujeitos participantes. A análise dos dados foi realizada através técnica de análise temática de conteúdo e seus resultados foram interpretados tendo como referências a Clínica Ampliada e a participação do usuário, dialogando também com a Teoria da Dádiva discutida por Marcel Mauss. Os resultados apontaram sentidos da humanização vinculados ao afeto, reciprocidade e honestidade, destacando-se como elementos essenciais às práticas humanizadas a confiança, o vínculo, a escuta, o diálogo e a responsabilização. Foram também mencionados outros elementos relacionados à organização dos serviços de saúde tais como acesso e bom funcionamento. As dificuldades e potencialidades demarcaram deficiências estruturais do sistema de saúde e mudanças no processo de trabalho. A participação dos usuários desconstruindo e reconstruindo conceitos sobra à humanização na produção do cuidado em saúde é fator primordial para o a sedimentação do que propõe a PNH. Utilizando o espaço privilegiado da ESF e criando sujeitos mais partícipes, é possível entender suas necessidades e demandas, sendo um caminho possível para a construção de uma gestão participativa.
Descritores: Humanização da Assistência. Estratégia Saúde da Família. Participação Social.

Voltar ao topoVoltar