Início do conteúdo

A INSERÇÃO DO TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA NO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE

RESUMO
Introdução: O Técnico em Saúde Bucal (TSB) é uma ocupação da Odontologia que têm suas atribuições definidas através da lei federal n° 11.889/08, podendo atuar na prevenção, promoção e recuperação da saúde bucal. Segundo o site do Departamento de Atenção Básica, do Ministério da Saúde, pode-se constatar através do histórico de cobertura da Estratégia Saúde da Família, que no Rio Grande do Norte existem atualmente apenas oito equipes com TSB implantadas. Objetivo: O presente estudo buscou elucidar os motivos da pouca inserção desses técnicos no serviço público, apesar da relevância do seu trabalho. Método: Trata-se de uma pesquisa quantitativa, sendo um estudo de caso do tipo exploratório, tendo em vista que não existem estudos semelhantes precedentes, e está dividida em duas fases distintas: a princípio foi realizado um mapeamento desses técnicos utilizando informações cadastrais das escolas formadoras e conselho de classe para descobrir quantos são e onde estão. E num segundo momento da pesquisa, foi feita uma análise do processo de implantação (ou não implantação) das equipes de saúde bucal para descobrir que fatores contribuíram para a efetivação (ou não efetivação) deste tipo de trabalho técnico nas equipes. Nessa segunda fase, os Coordenadores de Saúde Bucal municipais responderam a uma entrevista contendo questões abertas e fechadas através de ligações telefônicas. A amostra foi definida por sorteio levando em consideração a força potencial de trabalho contida nos municípios. Resultados: 1053 técnicos, sendo 94,3% do sexo feminino, distribuídos por todas as Regionais de Saúde. Quanto as entrevistas, 96,9% dos coordenadores de saúde bucal acham importante a existência de um técnico em saúde bucal na Odontologia, 92,2% recomendariam a sua inclusão nas equipes de Saúde Bucal da Estratégia Saúde da Família, muito embora 76,6% nunca tenha falado com o Secretário de Saúde sobre essa implantação em seu município, 35,9% disseram que a falta dessa implantação poderia estar relacionada a recursos financeiros e 51,6% citaram a necessidade de melhorar a estrutura física para que fosse possível essa implantação. Conclusões: Os Técnicos em Saúde Bucal do Rio Grande do Norte estão sendo mal aproveitados pelo serviço público por não estarem inseridos ou por estarem atuando como auxiliares de saúde bucal. Faz-se necessário uma maior sensibilização dos prefeitos quanto a importância desta categoria odontológica, da necessidade de investimentos em reforma das Unidades Básicas de Saúde e da aquisição destes trabalhadores. Por outro lado, questiona-se o papel do Estado e da militância da Saúde Coletiva na condução desse processo.
Palavras-chave: saúde da família, saúde bucal, auxiliares de Odontologia.

Voltar ao topoVoltar