Início do conteúdo

INTERCORRÊNCIAS OBSTÉTRICAS E NEONATAIS E SUA ASSOCIAÇÃO COM A ALTERAÇÃO DOS VALORES PRESSÓRICOS: UMA COORTE GESTACIONAL

RESUMO: Objetivou-se identificar, numa coorte gestacional, a ocorrência de intercorrências obstétricas e/ou neonatais e associá-las à alteração de pressão arterial na gestação. Estudo de abordagem quantitativa e desenho de coorte prospectivo, realizado de janeiro a setembro de 2020, tendo como amostra as gestantes do município de Brejo Santo-CE que estavam no primeiro trimestre de gravidez no início da coleta. Foi feito o acompanhamento das gestantes e utilizados três instrumentos de coleta para avaliações periódicas. Os dados foram organizados no Excel para Windows 2016 e analisados no software IBM SPSS®, considerando significância de p<0,05, intervalo de confiança 95%. Foram atendidas as exigências éticas e foi aprovado por um Comitê de Ética em Pesquisa. Foram coletados dados socioeconômicos e clínicoobstétricos de 35 gestantes durante os três trimestres da gravidez e dados clínicos neonatais. As gestantes foram divididas em dois grupos, expostas (22) e não expostas (13), sendo observadas quanto à presença ou não de intercorrências obstétricas e/ou neonatais. Foi feita a análise bivariada entrecruzando fatores de risco com a ocorrência ou não do desfecho, não havendo associações estatisticamente significativas. Na análise Odds Ratio, os resultados não foram significativos, mas há de se destacar maior chance de intercorrências maternas em face de episódio de pré-eclâmpsia/ eclampsia ou histórico familiar (OR=4,00) e nas mulheres com IMC alterado (OR=3,61). Na associação da PA entre os trimestres de gestação com a presença de complicações gestacionais e/ou neonatais, houve tendência da pressão arterial aumentar gradualmente nos trimestres, especialmente na pressão diastólica. Na comparação das médias estimadas por trimestre, houve uma tendência, embora sem significância estatística, de as mulheres com pressão mais alta serem aquelas mulheres com intercorrência. Conclui-se que com o conhecimento e identificação de fatores de risco para intercorrências na gestante e no recém-nascido, como também atenção a aumentos dos valores da PA, são de extrema importância para o cuidado do binômio, com o intuito de diminuir a ocorrência das complicações.

 

Palavras-chave: Pressão Arterial. Complicações na Gravidez. Cuidado Pré- Natal. Saúde Materno-Infantil.

Voltar ao topoVoltar