Início do conteúdo

INTERVENÇÃO EDUCATIVA PARA MELHORIA DO CONHECIMENTO, ATITUDE E PRÁTICA DEMULHERES EM SITUAÇÃO DE PROSTITUIÇÃO EM RELAÇÃO ÀS DST/HIV

RESUMO

A prostituição feminina é uma atividade que acompanha a história da humanidade, e tendo em vista as características específicas da atividade desenvolvida, as DST/HIV passaram a ser vistas como um risco ocupacional. Desenvolver ações que busquem a prevenção e o diagnóstico precoce é fundamental para a promoção da saúde das Mulheres em Situação de Prostituição(MSP). Objetivou-se avaliar os efeitos de uma intervenção educativa para a melhoria do conhecimento, atitude e prática de mulheres em situação de prostituição, em relação à prevenção de DST/HIV.Estudo do tipo quase experimental, com aplicação de pré-teste e pós-teste. A coleta de dados foi realizada no período de abril a maio de 2016, Sobral-CE. A amostra foi composta por 75 mulheres, na fase pré-teste e na fase pós-teste. Utilizaram-se o formulário sociodemográfico e o inquérito Conhecimento Atitude e Prática (CAP), que abordou os comportamentos de risco e a prevenção das DST/HIV. A intervenção foi baseada em estratégia educativa, sendo os conteúdos fundamentados na Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher e nas recomendações contidas nos Cadernos da Atenção Básica, Caderno Nº 18 HIV/Aids, Hepatites e outras DST (2006), Caderno N°13 Controle dos Cânceres do Colo do Útero e da Mama (2013). Os dados foram analisados por meio do software StatisticalPackage for the Social Sciences (SPSS) versão 19.0. Utilizou-se o teste de McNemar para comparar o CAP aplicado antes da intervenção e após a intervenção. O estudo respeitou a resolução 466/12. Os resultados mostraram que houve predominância de mulheres jovens com idade média de 26,7 anos, solteiras, quecobram baixo valor pelo programa, vivem apenas da prostituição, possuem baixo nível de escolaridade e baixa renda mensal. Observou-se, também que as MSP têm conhecimento adequado sobre a prevenção de DST/HIV, pois 100% das mulheres responderam que o preservativo masculino é um método que evita a DST/HIV. Contrastando com este resultado, observou-se uma atitude e prática inadequadas, pois mais da metade respondeu que aceitariam realizar programas sem preservativos por um valor mais alto e não utilizam preservativos com parceiros fixos e cliente preferenciais. A intervenção educativa com enfoque na prevenção das DST/HIV, promove efeitos desejáveis na medida em que se obteve melhora significativa para melhoria do conhecimento no que diz respeito aos tipos de práticas sexuais que podem ser utilizado camisinha na prevenção das DST/HIV - conhecimento adequado (p=0,01),métodos que evitam as DST/HIV como preservativo feminino - conhecimento adequado (p= 0,01), doenças transmitidas por meio do ato sexual: hepatites - conhecimento adequado (p=0,01), gonorreia - conhecimento adequado (p=0,01), clamídia - conhecimento adequado (p=0,01), herpes - conhecimento adequado (p=0,01) e sobre a não realização dos exames sorológicos (teste rápido) para HIV, sífilis e hepatites interferem na saúde da mulher conhecimento adequado (p=0,01).Conclui-se que a intervenção educativa favoreceu o aumento do conhecimento e atitude avaliados após a intervenção. Recomenda-se o desenvolvimento de estratégias educativas promovidas por profissionais da saúde a mulheres em situação de prostituição.

Palavras-chave: Mulheres. Prostituição. Conhecimento. Atitude. Práticas em Saúde. DST/HIV.

Voltar ao topoVoltar