Início do conteúdo

ITINERÁRIOS TERAPÊUTICOS DA POPULAÇÃO TRANS EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE BRASILEIRO

RESUMO - INTRODUÇÃO: Apesar de ser inegável que importantes conquistas sociais foram alcançadas pela população de lésbicas, gays, bissexuais, transexuais, queer, intersexuais e outras denominações, ainda há muito o que se discutir, em especial, no que tange ao acesso aos serviços de saúde no Brasil. Esse contexto torna-se ainda mais complexo quando essa discussão está relacionada à população transexual. OBJETIVO: Compreender os itinerários terapêuticos percorridos pela população trans em um município do nordeste brasileiro, Timon – Maranhão. MÉTODO: Pesquisa qualitativa realizada no município de Timon – Maranhão. Foram realizadas entrevistas individuais e semi-estruturadas com oito pessoas trans. A análise dos dados deu-se a partir do referencial teórico da hermenêutica de Paul Ricoeur. RESULTADOS: A partir dos discursos dos sujeitos da pesquisa foram reconhecidas três unidades de significado: “a construção do ser-trans”, “o acesso à saúde da população (trans)tornada” e também “itinerários terapêuticos (trans)formados”. Foi possível identificarmos diversos aspectos que interferem no processo de construção do “ser-trans”, como discriminação e preconceito, violências sofridas no ambiente familiar e no espaço da rua; quanto ao acesso, observamos que este é, consideravelmente, prejudicado devido a questões institucionais, o que define o itinerário percorrido por esta população, em especial, na perspectiva da busca pelos espaços informais de cuidado à saúde, a exemplo das bombadeiras e clínicas clandestinas. CONSIDERAÇÕES: A população trans sofre preconceito e violência em quase todos os espaços que transita. Violência essa, muitas vezes, velada e expressada de forma clara por parte daqueles que a praticam. Encontrou-se uma população segregada, diversas vezes esquecida e prejudicada quanto aos direitos constitucionais de saúde, educação, trabalho, dentre outros.

Palavras-chaves: Pessoas Transgênero; Acesso aos Serviços de Saúde; Saúde Pública; Enfermagem; Pesquisa Qualitativa.

Voltar ao topoVoltar