Início do conteúdo

MODELO DE GESTÃO EM SAÚDE NO CONTEXTO DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO MUNICÍPIO DE FORTALEZA- CEARÁ

RESUMO
A organização dos processos de gestão em saúde na Atenção Primária à Saúde (APS), contribui para o desencadeamento de práticas que retratem tecnicamente o delineamento das necessidades de saúde da população e adéquem as intervenções. Os sistemas integrados ou redes de atenção à saúde têm produzido resultados significativos em diversos países e são apontados como eficazes tanto em termos de organização interna (alocação de recursos, coordenação clínica, etc.), quanto em sua capacidade de atuar em redes, face aos desafios inerentes a Atenção Primária e a condições que atuam de forma direta e indireta na saúde da população como um todo, tais como, o crescimento proporcional das doenças crônicas e agravos não transmissíveis, a elevação dos custos de tecnologias, as necessidades especiais advindas do envelhecimento populacional, etc. Nesse contexto, esta pesquisa teve como objetivo geral apreender a percepção dos gestores de Unidades de Atenção Primária à Saúde, a cerca do modelo de gestão adotado no município de Fortaleza-CE, e como objetivos específicos, identificar e compreender os modelos de gestão em saúde existentes no município e descrever o perfil desses gestores. Tratou-se de um estudo de caso, descritivo qualitativo, realizada na maior regional de saúde de Fortaleza/Ce, em extensão territorial, a que possui o maior número de UAPS e a que mais inaugurou novas UAPS, o que resultou em reterritorialização das áreas de abrangência, daí decorrendo profundas mudanças em diversos aspectos para a população assistida no Município referido. Participaram da pesquisa os gestores que aceitarem o convite de acordo com os critérios de inclusão. Foi utilizada uma entrevista semi-estruturada, os dados foram analisados por meio de Estatística Descritiva, e as opiniões interpretadas por meio da Análise de Conteúdo, de Laurence Bardin. A pesquisa respeitou os preceitos éticos da investigação científica envolvendo seres humanos. Ao final do estudo, por meio do resultado das entrevistas, podemos concluir que os objetivos propostos pela pesquisa produziram os seguintes resultados: dos gestores entrevistados, 50% têm como formação a graduação em Enfermagem e 71 % são do sexo feminino, entendem que gestão em saúde atravessa planejamento, execução, avaliação e monitoramento das atividades e dos indicadores em saúde, com o intuído de prestar um serviço com qualidade à população adstrita, sendo eles um potencial agente transformador da realidade. É possível afirmar que houve inúmeras e profundas mudanças na APS de Fortaleza em todos os sentidos, que vai desde o horário de funcionamento da própria UAPS até a cobertura dessas equipes, assim como foi pontado os desafios ainda a serem superados.Ao final, percebe-se que os gestores entendem a proposta do Modelo aplicado na APS de Fortaleza/Ce e certamente o maior desafio de todos é sempre fortalecer a Atenção Primária, mantendo-a ordenadora e coordenadora do cuidado na RAS. Como recomendação, sugere-se que outras pesquisas com a mesma temática sejam realizadas, no intuito de acompanhar a manutenção do modelo, assim como possíveis mudanças, uma vez que o mundo acadêmico tem a obrigação de refletir criticamente sobre os processos da atenção à saúde que afetam a vida de nossos cidadãos.

Palavras-chave: Gestão em saúde. Atenção Primária à Saúde. Modelo de gestão.

Voltar ao topoVoltar