Início do conteúdo

MUITO ALÉM DA BARBA, CABELO E BIGODE: O PENSAR E O AGIR DE HOMENS FRENTE AOS CUIDADOS COM A SAÚDE

RESUMO: É perceptível a resistência que os homens possuem quanto aos cuidados com a saúde. Os modelos de masculinidade estabelecidos e a maneira como se dá a socialização masculina podem ser os responsáveis por fragilizar ou mesmo afastar os homens das preocupações com o autocuidado e a busca dos serviços de saúde. A compreensão das singularidades masculinas pode proporcionar ganhos tanto para a saúde do homem, como para os serviços de saúde. Esta pesquisa teve como objetivo geral compreender o sentido de cuidados à saúde atribuído pelos homens, e específicos: entender o que os homens pensam sobre cuidados à saúde; conhecer os motivos que levam a pouca procura dos homens aos serviços de saúde; compreender como o homem se sente dentro do estabelecimento de saúde; e desenvolver atividade educativa para produção de conhecimento nos homens sobre os cuidados com a saúde. Tratou-se de uma pesquisa-ação, descritiva, com abordagem qualitativa, que teve como recorte espacial o município de Cajueiro da Praia, localizado no Estado do Piauí. A pesquisa foi realizada na área da Estratégia Saúde da Família de Árvore Verde, zona rural do município, com homens de 25 a 59 anos, residentes e cadastrados na área supracitada e que não procuraram a Unidade Básica de Saúde do seu território no ano de 2018. Os dados foram produzidos por meio de entrevista semiestruturada e possibilitaram a realização de atividade educativa com os homens. A análise dos dados se deu pela transcrição na íntegra das respostas e sua organização em categorias. Os resultados encontrados demonstraram que o homem, no que concerne aos cuidados com a saúde, tem uma postura muito peculiar. O estereótipo masculino e a cultura de invulnerabilidade ainda criam resistência à adoção de práticas de autocuidado. Logo, faz-se necessária a responsabilização dos homens para as práticas individuais de cuidado e uma transformação de práticas, com o intuito de desconstruir estereótipos e fortalecer a adoção de ações para a promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos na saúde do homem.

 

Palavras-chave: Autocuidado; Estratégia Saúde da Família; Saúde do Homem.

Voltar ao topoVoltar