Início do conteúdo

O (DES)CAMINHO ATÉ A PORTA: UM ESTUDO SOBRE O ACESSO À ATENÇÃO BÁSICA DE SAÚDE EM TRÊS MICROÁREAS DE FORTALEZA

RESUMO

Este estudo analisa o acesso da população aos serviços de atenção primária à saúde em três microáreas de Fortaleza, Ceará. Seus objetivos são identificar componentes de acesso que influenciam na utilização dos serviços de atenção básica pelos moradores de microáreas da Secretaria Regional II de Fortaleza, conhecendo os motivos do não-acesso aos serviços de saúde da unidade saúde do bairro, as barreiras que dificultam o acesso à essa mesma unidade e identificando as portas de entrada dessa população no sistema de saúde. Trata-se de um estudo descritivo, de abordagem quantitativa e desenho transversal, realizado no ano de 2013. Foram entrevistadas 247 famílias. Foi feito um mapeamento utilizando um Sistema de Informações Geográficas (SIG), o ArcGis®, que permitiu a visualização dos serviços de saúde bem como da sua relação com as dificuldades e barreiras de acesso ora apontadas pelos sujeitos desta pesquisa. Os resultados mostram que 62,3% das famílias não tem o posto do bairro como local de primeira procura em caso de necessidade de saúde. A distância e a facilidade de acesso a outro centro de saúde foram os principais motivos para isso. A distância (50,2%), o transporte (45,2%) e o desconhecimento sobre localização e funcionamento do posto (21,0%) foram as dificuldades mais frequentes. Esta pesquisa aponta a necessidade de um estudo participativo e mais criterioso do território de atuação da equipe da Estratégia Saúde da Família de modo a considerarem-se as diversas barreiras que interferem no acesso dessa população aos serviços de saúde.

Palavras-chave: Acesso aos Serviços de Saúde; Atenção Primária à Saúde; Programa Saúde da Família; Mapeamento Geográfico

Voltar ao topoVoltar