Início do conteúdo

O MESTRADO PROFISSIONAL EM SAÚDE DA FAMÍLIA: ANÁLISE DOS (DES)CAMINHOS TRAÇADOS NESSA TRAJETÓRIA

RESUMO: As mudanças tecnológicas e as correntes transformações em praticamente todos os cenários brasileiros têm demandado profissionais com perfis de especialização distintos dos tradicionais. O Mestrado Profissional em Saúde da Família (MPSF) é uma modalidade inovadora de ensino stricto sensu, dirigido à capacitação de lideranças para a prática profissional transformadora, mediante o estudo de técnicas, processos, ou temáticas por meio da incorporação de metodologia científica reconhecida, proporcionando integração entre o mundo do trabalho e a academia. Geralmente, os trabalhos de conclusão produzidos nos cursos de Mestrado Profissional estão direcionados à interpretação da prática e ao delineamento de linhas de ações, mas sempre abordando conceitos, teorias e discussão de idéias. Este trabalho teve por objetivo analisar  as produções e produtos do Mestrado Profissional em Saúde da Família - nucleadora Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), defendidas no período de 2012 a 2016. Trata-se de um estudo documental, exploratório descritivo, com abordagem qualitativa. A coleta de dados foi realizada em bases eletrônicas (repositório de dissertações e teses da universidade; Plataforma Lattes; página do programa de pós-graduação) e por meio de entrevistas. Os dados analisados foram: ano de defesa, título, autor e orientador, formato do trabalho (dissertação ou outro produto/modelo), objetivos, metodologia utilizada, linha de pesquisa e temas, bem como área de atuação profissional e tempo de atuação profissional quando da defesa da dissertação. Da mesma forma, buscou-se analisar as produções técnicas e científicas desenvolvidas e relacionadas ao Mestrado, após o seu término, bem como as atividades e vínculos dos egressos nesse período posterior até 2019. As produções finais foram medidas em cinco conceitos, cada um gerando um indicador de qualidade: quantidade de trabalhos de conclusão (MP) aprovados e qualidade dos trabalhos de conclusão produzidos. Sob tal ótica, foram classificados como Adequado á linha de pesquisa [Muito Bom (MB) e Bom (B)], ou Necessidade de melhoria [Regular (R), Fraco (F) ou Insuficiente (I)]. Partindo desse entendimento, os dados foram complementados através de análise de conteúdo na perspectiva de Bardin. O projeto foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa do HUOL-UFRN (Parecer n. 3.180.305 e CAAE nº 07046819.9.0000.5292). Emergiram as seguintes categorias de análise: Mestrado como marca do SUS: um motivo a mais para continuar na trilha do conhecimento e Perfil Profissional, Nortes e Escolhas: qual o mestrado que fazemos e qual o mestrado que queremos? Conclui-se que os critérios e itens da avaliação institucional introduzidos pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) são conhecidos pela comunidade acadêmica avaliada, porém precisam ser repensados para atender as especificidades do programa.

 

Palavras-chave: Mestrado Profissional; Avaliação Institucional; Trabalho de Conclusão de Curso

Voltar ao topoVoltar