Início do conteúdo

A PRODUÇÃO DO CUIDADO EM SAÚDE MENTAL NA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO: A Atenção Primária à Saúde é reconhecida mundialmente como porta de entrada do sistema de saúde e responsável pela resolubilidade dos principais problemas de saúde da comunidade, inclusive daquelas que demandam cuidados em saúde mental. No entanto, a fragmentação do sistema de saúde é considerada um dos grandes entraves para efetivar o cuidado integral da população. Diante isso, foram criadas as Redes de Atenção à Saúde que são responsáveis pela organização e articulação dos pontos de atenção da rede – e, a Rede de Atenção Psicossocial - essa última com o propósito de ampliar o acesso à atenção psicossocial e garantir a articulação e integração entre os serviços. Cabe salientar que a interlocução entre a Atenção Primária à Saúde e a Rede de Atenção Psicossocial têm se constituído como importante diretriz para a efetivação da Reforma Psiquiátrica Brasileira. Isso evidencia a importância da constituição de serviços de base comunitária. Assim, a Estratégia Saúde da Família tem se consolidado como um potente espaço produtor de cuidado em saúde mental. A partir do exposto, o objetivo deste estudo foi analisar as contribuições da Estratégia Saúde da Família na produção do cuidado em saúde mental na cidade de Recife-PE. Trata-se de um estudo de caso, descritivo e exploratório, de abordagem qualitativa, desenvolvido mediante aplicação de questionário online com 116 enfermeiros da Estratégia Saúde da Família e realização de entrevistas semiestruturadas com 11 profissionais de três equipes da Estratégia Saúde da Família da cidade do Recife. Para o tratamento dos dados, foi realizada análise de conteúdo na modalidade temática. A partir da análise, emergiram três categorias temáticas: as práticas em saúde mental na Estratégia Saúde da Família, os fatores potencializadores no cuidado em saúde mental e os entraves a serem superados para o cuidado em saúde mental. Considera-se que esse estudo apresentou que é possível o acompanhamento na Estratégia Saúde da Família para pessoas com sofrimento psíquico, através da execução de grupos terapêuticos, consultas médicas com escuta qualificada e acolhimento fortalecedor do vínculo, ainda que a frágil articulação da Rede de Atenção Psicossocial e a pouca capacitação dos profissionais para lidar com a saúde mental tenham sido avaliadas como limitadoras no processo de trabalho. Portanto, torna-se imprescindível o apoio da gestão para qualificar o cuidado em saúde mental na Atenção Primária a Saúde, uma vez que é no território, na Estratégia Saúde da Família que pode possibilitar a identificação, o acolhimento e acompanhamento das pessoas com sofrimento psíquico na Rede de Atenção Psicossocial.

 

Palavras-chaves: Atenção Primária à Saúde. Saúde Mental. Rede de Atenção Psicossocial.

Voltar ao topoVoltar