Início do conteúdo

PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA: PERCEPÇÃO DOS ATORES ENVOLVIDOS EM UM MUNICÍPIO DO NORDESTE BRASILEIRO

RESUMO
No contexto da saúde das crianças e adolescentes, surge o Programa Saúde na Escola (PSE), contribuindo para a formação integral dos estudantes da rede de educação básica pública através de ações de promoção, prevenção e atenção à saúde. Este trabalho tem como objetivo compreender o PSE no Município de João Pessoa-PB. É um estudo exploratório com uma abordagem qualitativa. A amostra foi do tipo intencional composta pelos profissionais das equipes da Estratégia Saúde da Família que foram classificadas, na avaliação do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ) 2º Ciclo, quanto ao seu nível de qualidade em “muito acima da média” e pelos representantes do Grupo de Trabalho Intersetorial Municipal (GTI-M), totalizando 12 participantes. A técnica de coleta de dados foi a entrevista semi-estruturada. A análise dos dados foi realizada por meio da técnica de Análise de Conteúdo de Bardin. Foram definidas as seguintes categorias de análise: compreensão do Programa Saúde na Escola, percepção da intersetorialidade e do trabalho em equipe, planejamento e execução das ações, fragilidades e potencialidades do programa. Os resultados identificaram que os profissionais da saúde e gestores compreendem o PSE, entretanto, não percebem a potencialidade da intersetorialidade e do trabalho em equipe. O planejamento está sendo realizado por alguns setores de maneira desarticulada. Foram apontadas como fragilidades do programa, a participação incipiente dos professores, dos profissionais da medicina e dos pais dos escolares, bem como, a falta de material educativo no cumprimento das ações intersetoriais. Entretanto, tem como potencialidade a promoção do vínculo com os escolares, a realização de ações de avaliação e promoção da saúde e o favorecimento da integração ensino-serviço, proporcionando uma atenção à saúde de crianças e adolescentes do território adstrito. Conclui-se, portanto, que o PSE é importante na atenção à saúde dos escolares e que a sua implementação enfrenta desafios, necessitando do compromisso e co-responsabilização dos diversos atores envolvidos no processo, instigada pelos pressupostos da intersetorialidade e do trabalho em equipe, buscando a consolidação das ações do SUS às ações das redes de educação básica pública.
Palavras-chave: Ação Intersetorial; Promoção da Saúde; Programas governamentais; Saúde Escolar.

Voltar ao topoVoltar