Início do conteúdo

A RODA COMO ESTRATÉGIA DE EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE: SENTIDOS E SIGNIFICADOS DOS TRABALHADORES DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA

RESUMO

O processo de co-gestão de coletivos proposto por Gastão Wagner simbolizado pelo dispositivo da Roda é adotado pelo sistema de Saúde de Sobral, desde 2001. O desafio deste estudo foi apreender os sentidos e os significados da Roda enquanto estratégia de Educação Permanente em Saúde do Município de Sobral-Ce. Para isso, realizamos uma pesquisa exploratório-descritiva, com abordagem qualitativa, que realizou-se em três centros de saúde que compõem uma macroárea da Estratégia Saúde da Família de Sobral-Ce. O instrumento utilizado para coleta de dados foi o Mapa Afetivo. A análise de conteúdo, do subtexto, do sentido e do motivo, propostos por Bomfim (2010) constituíram o referencial teórico-metodológico para a análise dos resultados. Estes conduziram a inferência que o Método da Roda constitui-se em espaço significativo para o coletivo de participantes por permitir um encontro de sujeitos/poderes que possibilita avaliação da própria ação produtiva, aumentando assim a capacidade dos sujeitos para analisar e operar sobre a práxis. Quando buscamos apreender os sentidos (privado) da Roda enquanto estratégia de EPS, identificamos a relevância do método por possibilitar a expressividade dos sujeitos que, além de avigorar vínculos, oportuniza a co-produção de projetos, o que os motiva a co-gestão dos processos de trabalho, fortalecendo o sentimento de segurança na tomada de decisões pela consistência do aprendizado. Em vista disto, concluímos que a EPS e Método Paidéia ou Roda são estratégias complementares ou interdependentes, posto que oportunizam a equipe a um relativo distanciamento do cotidiano de afazeres, a fim de refletir sobre o mesmo, permeado pelos componentes administrativo, político, pedagógico e terapêutico que o método propõe.

Palavras-chave: Atenção Primária a Saúde. Cogestão. Educação Permanente.

Voltar ao topoVoltar