Início do conteúdo

SÍNTESE DE EVIDÊNCIAS PARA POLÍTICAS DE SAÚDE: melhorando a cobertura vacinal na primeira infância

RESUMO: A prática da imunização vem, ao longo do tempo, incorporando-se ao conjunto de ações da Atenção Primária à Saúde (APS), sendo ofertada nos serviços de saúde, como uma das principais ferramentas de prevenção e promoção da saúde dentro da Estratégia Saúde da Família (ESF). Nesse contexto, aponta-se então para o questionamento referente à efetividade das políticas, programas e serviços propostos e do seu grau de implementação: Quais as evidências científicas sobre intervenções para a melhoria da cobertura vacinal na primeira infância dentro APS/ESF que possam amparar a formulação e implementação de políticas públicas voltadas a esse problema. O estudo teve como objetivo identificar as intervenções efetivas e estratégias para implementação para melhorar a cobertura vacinal na primeira infância. Trata-se de um estudo secundário, uma revisão rápida de abordagem qualitativa, cujo produto é uma Síntese de Evidências para Políticas de Saúde. A coleta de dados foi realizada de acordo com a metodologia das ferramentas SUPPORT (Supporting Policy Relevant Reviews and Trials). Em abril de 2018, foi realizada a definição do problema de política através de buscas sistemáticas na literatura sobre o tema, na Biblioteca Virtual em Saúde (BVS). Outras referências também foram buscadas nos sites de instituições consideradas experts no assunto. Relatórios extraídos no site do SIPNI também foram utilizados. Na busca de evidências para as opções, realizada em setembro de 2019, foram revistadas as bases de dados HSE (Health Systems Evidence), Cochrane Library, BVS e PubMed. Os critérios para a busca pelas evidências das opções foram: (1) revisões sistemáticas, (2) disponibilidade de textos completos com livre acesso ou pago (3) textos nas línguas inglês, português ou espanhol. A busca deu-se na PubMed, HSE e Cochrane Library com os seguintes termos MeSH e operadores booleanos: Immunization Programs AND Vaccination Coverage OR Vaccination refusal e na BVS com os DeCS: Programas de imunização AND Política informada por evidências AND Cobertura Vacinal. Após a busca dos dados utilizou-se o software Rayyan para auxiliar na seleção dos estudos. Foram elencadas quatro opções para a abordagem do problema: i) Oferecer programas de educação em saúde voltados para os pais, abordando aspectos socioculturais relacionados a imunização; ii) Fortalecer a comunicação entre os profissionais de saúde e pais sobre imunização na Atenção Primária à Saúde; iii) Promover o uso de tecnologias da informação e comunicação para o envio de lembretes relacionados à vacinação; iv) Realizar flexibilização e extensão nos horários e dias de funcionamento dos locais de vacinação e utilizar outras abordagens de aproximação. Para que essas opções sejam implementadas, faz-se necessários que o controle social seja fortalecido nos serviços de saúde, proporcionando uma melhor comunicação entre os profissionais de saúde e usuários. Além disso, é fundamental que novas tecnologias de comunicação sejam incorporadas de forma efetiva ao Sistema Único de Saúde (SUS), para que população tenha acesso de forma mais rápida e democrática aos serviços ofertados. O Programa Nacional de Imunizações (PNI) é um dos maiores do mundo e deve ser priorizado na agenda dos tomadores de decisão.

Palavras-chave: Programas de Imunização; Cobertura Vacinal; Recusa Vacinal e Política informada por evidências.

Voltar ao topoVoltar