Início do conteúdo

SABERES E PRÁTICAS DE ENFERMEIROS DA ESTRATÉGIA SAÚDE DA FAMÍLIA SOBRE O CONSUMO DE ÁLCOOL E OUTRAS DROGAS POR PESSOAS IDOSAS

RESUMO
O envelhecimento da população cresce em meio a diferentes demandas, a exemplo do consumo de álcool e outras drogas, considerado um grave problema de saúde pública. Para desvendar esta problemática foram elaborados os seguintes objetivos: Discutir os saberes e as práticas do Enfermeiro da Estratégia Saúde da Família (ESF) em relação à pessoa idosa usuária de álcool e outras drogas; Analisar as estratégias utilizadas e os entraves enfrentados por esses Enfermeiros na promoção da saúde desses idosos, bem como, Elaborar folder educativo apartir dos saberes e práticas dos Enfermeiros da ESF na atenção ao idoso usuário de álcool e outras drogas. Trata-se de um estudo exploratório e descritivo com abordagem qualitativa, realizado com 17 Enfermeiros da ESF em Teresina-PI. A coleta de dados foi realizada com a técnica de entrevista, utilizando um roteiro semiestruturado, seguindo as etapas do método de análise de conteúdo temática e a elaboração de um folder educativo para os Enfermeiros considerando as demandas identificadas. A análise dos dados permitiu a caracterização sociodemográfica dos participantes e a formulação de três categorias temáticas: Saberes e Práticas do Enfermeiro da ESF referentes ao consumo de álcool e outras drogas por idosos, Estratégias utilizadas pelo Enfermeiro na atenção ao idoso nesse contexto, e Entraves enfrentados pelos Enfermeiros na atenção a esses idosos. Entre as características sociodemográficas, todas as participantes eram do sexo feminino, com faixa etária entre 33 e 62 anos, predomínio de casadas (9), com graduação de 08 à 37 anos, tempo de serviço na ESF entre 08 e 19 anos, a qualificação profissional de 10 Enfermeiras com pós-graduação latu sensu e 07 strictu sensu e ainda 11 das participantes não fizeram capacitação específica sobre a temática. Os resultados evidenciaram que os saberes dos Enfermeiros sobre o uso de álcool e outras drogas pelos idosos são frágeis e empíricos, pautados em conhecimentos do senso comum, o que dificulta a identificação dos idosos dependentes, bem como, os tipos, a frequência e a quantidade de substâncias utilizadas. As práticas são assistemáticas e não seguem os protocolos das políticas de enfrentamento ao uso de álcool e outras drogas, se dão vinculadas a outros programas de saúde e atividades da equipe. As estratégias utilizadas para realização dessas ações são concretizadas em ações educativas, visita domiciliar e consulta de Enfermagem. Os entraves enfrentados para o cuidado a esta clientela estão relacionados a estrutura organizacional e institucional, obstáculos educacionais e falta de apoio do núcleo familiar. Conclui-se a necessidade de capacitação do Enfermeiro, por meio de programas de educação permanente, na perspectiva de ampliar o conhecimento sobre a problemática do uso abusivo de álcool e outras drogas por idosos e ainda a implantação e implementação de práticas articuladas na equipe, com destaque para os agentes comunitários de saúde, e o apoio de familiares, amigos e vizinhos, além da utilização da rede de apoio psicossocial nos níveis de atenção a saúde.
Palavras-Chave: Enfermagem. Estratégia Saúde da Família. Idosos. Alcoolismo.

Voltar ao topoVoltar