Início do conteúdo

SATISFAÇÃO DOS USUÁRIOS E A QUALIDADE DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO RIO GRANDE DO NORTE

RESUMO

O presente estudo tem por objetivo avaliar a satisfação dos usuários em relação à qualidade da Atenção Primária à Saúde no Rio Grande do Norte. Trata-se de Pesquisa Avaliativa observacional transversal, com abordagem quantitativa, a qual faz parte da Avaliação Externa do Programa de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ), da Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Foram utilizados dados secundários de todas as entrevistas com usuários das equipes que participaram da Avaliação Externa do PMAQ no Estado do RN. A pesquisa foi realizada em 167 municípios do Estado do Rio Grande do Norte, na qual a população foi composta por 1.650 usuários. A amostra se deu por conveniência a partir dos seguintes critérios: usuários que estavam presentes na Unidade Básica de Saúde (UBS) para realizar qualquer tipo de procedimento e que consentisse em participar da avaliação. Foram excluídos os que tinham ido pela primeira vez na unidade e aqueles que não frequentaram há mais de 12 meses. A coleta dos dados foi realizada no período de setembro a novembro de 2013. Para tanto, foi elaborado um protocolo de pesquisa contendo as seguintes dimensões: organizacional, interpessoal e estrutural. Em relação à dimensão organizacional os resultados mostram que a marcação de consultas tem se configurado em empecilho ao acesso do usuário ao serviço de saúde, uma vez que se faz necessário para o atendimento, enfrentar filas, antes da abertura da unidade para pegar fichas. No tocante ao funcionamento da unidade, se destaca o fato dos usuários referirem que o horário de funcionamento da unidade atende à suas necessidades, apesar de funcionar 5 (cinco) dias por semana, a maioria das unidades permanece fechada no horário de almoço. Outro dado importante refere-se à coordenação do cuidado, cujos resultados apresentam diferenças maiores entre os usuários da região metropolitana e do interior do Estado em relação à Capital. Essa diferença se expressa principalmente em relação de marcação de consulta com outros profissionais especialistas. A dimensão interpessoal, no que diz respeito à categorias interação usuário-serviço-equipe e vínculo, demonstraram alguns avanços, contudo os melhores resultados foram observados em relação a satisfação com o cuidado, onde mais de 50% dos usuários se mostraram satisfeitos com o cuidado recebido nas unidades. Em contrapartida, o estudo mostrou que, na opinião de 56% dos usuários da capital, a falta de materiais e equipamentos influencia negativamente no cuidado. Por fim, o estudo contribuiu para reforçar a ideia de que a avaliação da satisfação dos usuários dos serviços de saúde pode ser uma ferramenta importante para subsidiar o processo de decisão compartilhada, de forma a se repensar as práticas profissionais, reorganizar o processo de trabalho desenvolvido, realocar recursos, readequar ações e redefinir objetivos que estejam coerentes com o projeto de saúde estabelecido.

Palavras-Chave: Satisfação do Usuário. Qualidade. Atenção Primária. Saúde Pública.

Voltar ao topoVoltar