Início do conteúdo

UM NOVO OLHAR NO CUIDADO COM A GESTAÇÃO: FORTALECENDO VÍNCULOS EM GRUPOS DE GESTANTES

RESUMO

A atenção integral proposta pela Estratégia Saúde da Família contempla uma reorientação do modelo assistencial, superando o antigo método centrado na doença. Por essa abordagem peculiar, os trabalhadores da saúde podem ter uma visão inovadora, tanto centrada na pessoa, como focada no contexto amplo da família, com novos modos de cuidar. Este estudo teve como objetivo desenvolver uma tecnologia leve aplicada a gestantes vulneráveis à rejeição da gravidez e concepto, buscando fortalecer o vínculo mãe-filho-mundo. Tratou-se de uma abordagem norteada pela pesquisa-cuidado, cujo propósito foi beneficiar as participantes pelas diferentes formas de cuidar. A coleta de dados ocorreu pela aplicação de formulários, recursos de filmagem e gravação de cinco sessões grupais, captando a essência do fenômeno da rejeição, tanto nas falas, como na linguagem corporal das participantes. Alguns resultados quantitativos foram apresentados em gráficos e tabelas construídos a partir dos programas Excel e World versão 2010. A análise desses dados delineou o perfil sociodemográfico que vulnerabilizava o contexto da maternagem entre as participantes. Os dados qualitativos foram avaliados e confrontados pela abordagem fenomenológica de Moustakas, a qual se adequou a esta pesquisa por ser mais focada na descrição das experiências das participantes. A análise revelou que um ambiente, no qual predominam a violência intrafamiliar, a ausência do parceiro, a dependência econômica materna, carências de uma mãe suficientemente boa, memórias punitivas dessa mãe e o não planejamento da gravidez, percebida como sem sentido, influencia diretamente na negação da maternidade, constituindo-se um entrave na relação harmônica mãe-filho-mundo. Tais fatores podem ser reproduzidos em um mecanismo de rejeição, transmitido a cada geração familiar. Subjetivamente, foram relatados sentimentos de medo, insegurança, impotência, mágoa, vergonha e negação na construção da descrição estrutural deste estudo. Durante a aplicação da pesquisa-cuidado, verificou-se a relevância do cuidado na abordagem de grupo, como proposta de desconstruir o fenômeno da rejeição. Propiciou-se, assim, um resgate aos princípios da maternagem, transcrito nas falas e observado nas imagens por meio de sete unidades de significado, inicialmente caracterizadas pela mágoa, desprezo, rejeição, aborto e ambivalência de sentimentos, reestruturadas pela resiliência e finalizadas pela aceitação. Por fim, é extremamente relevante se promover uma assistência eficaz às gestantes mais vulneráveis à rejeição e instituir grupos como suporte nos
eixos da saúde mental e cuidado.

Palavras-chave: Saúde da Família. Gestação. Relações mãe-filho. Rejeição.

Voltar ao topoVoltar