Início do conteúdo

USO DE BENZODIAZEPÍNICOS NA ATENÇÃO PRIMÁRIA: A PESQUISA-AÇÃO COMO ESTRATÉGIA DE REORGANIZAÇÃO PARA O CUIDADO INTEGRAL

RESUMO: O uso dos benzodiazepínicos tornou-se um sério problema de saúde pública, muitas dificuldades estão associadas a estas prescrições. Considerando as particularidades e complexidade dos indivíduos em seus diversos contextos sociais, é necessário a aproximação de profissionais que atuam nos serviços específicos de atenção à saúde mental com as equipes de Saúde da Família, para a qualificação destes, na busca do desenvolvimento do cuidado ampliado. Esta pesquisa teve como objetivo desenvolver uma proposta de reorganização da atenção integral a saúde dos usuários de benzodiazepínicos. Foi um estudo qualitativo, utilizando a pesquisa ação como metodologia. Utilizou-se entrevistas emi estruturadas e duas oficinas para chegar aos resultados. Participaram 23 trabalhadores da saúde, sendo 18 que atuam na atenção primária, dois na atenção secundária (Centro de Atenção Psicossocial) e três na gestão municipal. Os resultados obtidos foram organizados e analisados com base na análise de conteúdo proposta por Minayo, onde surgiram duas categorias e cinco subcategorias. Os profissionais reconhecem a existência de um uso indiscriminado de benzodiazepínicos, mas possuem dificuldades de reconhecerem suas competências na melhoria desse cuidado. Sinalizaram dificuldades e potencialidades da Estratégia Saúde da Família para a condução do cuidado, e construíram propostas de melhoria para a atenção a saúde integral de usuários de benzodiazepínicos, sendo possível a realização de algumas no caminhar da pesquisa. O dinamismo da pesquisa-ação trouxe resultados além dos questionamentos propostos, se tonando uma metodologia positiva para o desenvolvimento da pesquisa, onde mostrou resultados e caminhos que poderão contribuir para outros serviços, trabalhadores, gestores e pesquisadores com interesse ou dificuldades na área.

 

Palavras-chave: Ansiolítico. Estratégia de Saúde da Família. Serviço de Saúde.

Voltar ao topoVoltar