Início do conteúdo

USO DE TELECONSULTORIAS POR PROFISSIONAIS DA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE: EXPERIÊNCIA DE UM MUNICÍPIO MARANHENSE

RESUMO: A Teleconsultoria é uma das ferramentas disponíveis no Telessaúde e que permite a comunicação entre profissionais e gestores da área da saúde para o esclarecimento de dúvidas e construção de conhecimentos úteis para o trabalho, aperfeiçoando as práticas de Educação Permanente em Saúde e permitindo qualificação de baixo custo, mesmo em locais mais remotos. O objetivo do estudo foi descrever o uso do programa Telessaúde por profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS) em município maranhense. Tratou-se de uma pesquisa descritiva com abordagem quantitativa, onde foi discutido sobre o uso do programa Telessaúde pelos profissionais cadastrados no Núcleo Estadual de Telessaúde do HUUFMA e que atuavam no município de Caxias/Maranhão. A coleta de dados ocorreu em junho de 2018 através de questionários. Sobre a trajetória profissional e acadêmica dos 233 participantes, a maioria tem mais de 5 anos de atuação na APS (85,4%) e mais de 5 anos de trabalho no município (87,1%), a maioria são agente comunitário de saúde (60,6%) e 49,8% possui mais de 5 anos de formado. Em relação à organização do Núcleo Estadual de Telessaúde e do município para a oferta do Telessaúde, identificou-se que 42,1% não recebeu treinamento para o uso e 51,1% não teve acesso a esclarecimentos quando precisou. O tempo para recebimento de respostas foi considerado adequado por 88,7% e 91,1% teve sua dúvida esclarecida. Sobre a infraestrutura do município para o uso, identificou-se computadores (57,9%), internet satisfatória (60,1%) e local adequado (69,9%). A maioria dos profissionais reconhece os benefícios do uso do Telessaúde aos pacientes (95,2%) e para a prática no trabalho (95,8%). Reconheceuse também que é útil como uma ferramenta educacional (98,8%) e para resolver problemas da prática diária (86,9%), indicando contribuições para a EPS. Quanto a satisfação dos usuários, 63,1% demonstrou-se satisfeito com o serviço, 95,8% acredita no conhecimento dos teleconsultores, 82,7% recomendaria a amigos e 86,9% voltaria a usar em caso de necessidade. Conclui-se que os profissionais consideram que existe uma estrutura adequada e reconhecem a importância estratégica do uso do Telessaúde. Sugere-se maior mobilização da gestão municipal para a consolidação do programa e inclusão digital dos profissionais e melhor organização tanto do município quanto do Núcleo Estadual de Telessaúde para a permanente oferta de treinamentos, apoio e incentivo aos profissionais que desejem utilizar o serviço.

 

Palavras chave: Consulta Remota; Atenção Primária à Saúde; Telemedicina

Voltar ao topoVoltar