Início do conteúdo

UTILIZAÇÃO DE SERVIÇOS DE ATENÇÃO PRIMÁRIA E ACESSO A CUIDADOS EM SAÚDE BUCAL POR CRIANÇAS COM TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA: PERCEPÇÕES DE CUIDADORES

Introdução: O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é um transtorno persistente que provoca prejuízos em diversas áreas. O acesso desses pacientes à Atenção Primária à Saúde (APS) é essencial para um diagnóstico e intervenção precoce, minimizando os prejuízos causados pelo TEA. Ressalta-se que esses pacientes também possuem uma alta vulnerabilidade em relação aos problemas odontológicos. Objetivo: Analisar a utilização dos serviços de APS e o acesso aos serviços de saúde bucal, de crianças com TEA, atendidas em um Centro de Atenção Psicossocial infantil (CAPSi), a partir da perspectiva de seus cuidadores. Método: Estudo transversal, com abordagem quantitativa, realizado com 100 cuidadores de crianças com TEA, de 6 a menores de 12 anos, acompanhadas no CAPSi - VI, no município de Fortaleza. A coleta de dados foi feita através de um formulário estruturado contendo características do cuidador; da criança; o acesso da criança aos serviços de saúde bucal; e o módulo Acesso de Primeiro Contato - Utilização (APC-U), extraído do Primary Care Assessment Tool (PCATool), versão criança. Os dados foram analisados no software Statistical Package for the Social Sciences com confiança de 95%. A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com parecer de Nº 3.051.347 e seguiu as normas da resolução N° 466-2012, do Conselho Nacional de Saúde/MS. Resultados: O escore médio para o componente APC-U foi de 7,74, tendo sido considerado alto. Outro achado importante se refere ao fato de que 25% dos pacientes do estudo nunca foram ao dentista. Associações significativas relacionadas ao alto escore foram evidenciadas com as variáveis relacionadas ao cuidador, à criança e ao acesso pela criança aos serviços de saúde bucal. Através de regressão logística, a variável “não trabalhar fora” manteve significância com altos escores (OR=44,21; IC=1,64-1192,93; p= 0,024). Conclusões: Nosso estudo revelou um alto escore para o componente APC-U, mostrando que a população desta pesquisa possui uma satisfação na utilização dos serviços da APS, reconhecendo-a como porta de entrada para os serviços, porém, entendemos as limitações do estudo, o qual necessita de um maior debate.

Palavras-chave: Transtorno do Espectro Autista, Atenção Primária à Saúde, Saúde Bucal
 

Voltar ao topoVoltar