Início do conteúdo

VALIDAÇÃO DE PROTOCOLO CLÍNICO DE ASSISTÊNCIA INTERPROFISSIONAL À PUÉRPERA NA ATENÇÃO PRIMÁRIA

RESUMO: O estudo teve como objetivo elaborar e validar um protocolo clínico de assistência interprofissional à puérpera no âmbito da Atenção Primária à Saúde. Trata-se de estudo metodológico, desenvolvido em quatro fases: na primeira foi elaborada uma revisão integrativa acerca das condutas/ações benéficas para assistência à puérpera na Atenção Primária, na segunda foi aplicado questionário com os profissionais da Atenção Primária de Quixeramobim, na terceira foi desenvolvido a construção e validação do protocolo. A validação com os juízes por meio do instrumento AGREE II e na quarta etapa a apresentação do protocolo final na APS de Quixeramobim. Os dados foram inseridos no Statistical Package for Social Sciences (SPSS) versão 18,0, para permitir realizar a formulação de tabelas contendo frequências absolutas, e a validação de conteúdo foi realizada com aplicação do Índice de Validade de Conteúdo (IVC), que mede a proporção ou porcentagem de juízes que expressam concordância em relação aos itens do instrumento, além disso, calculou-se o Coeficiente de Variação de Pearson (CVP). A pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da Universidade Estadual do Ceará, sob o protocolo nº (CAAE: 09347919.3.0000.5534). Na revisão integrativa aplicaram-se os critérios CASP (Critical Appraisal Skills Programme) em 12 artigos. Na análise dos estudos selecionados, observou-se que os cuidados às puérperas apresentados foram: visita domiciliar, assistência médica, assistência psicológica, educação em saúde, assistência nutricional e acolhimento. Dos 55 profissionais que participaram desta etapa houve predominância do Agente Comunitário de Saúde (ACS) e o enfermeiro. A realização de atendimento às puérperas foi afirmada por 87,2% dos profissionais. A visita domiciliar foi a estratégia de captação mais expressa entre os profissionais, sendo o ACS o profissional com maior afirmação dessa prática. Após a análise dos currículos e seleção dos profissionais, dez juízes participaram da pesquisa. Destes, 03 atuavam apenas no ensino universitário na área da enfermagem, 01 trabalhava em uma UBS-AB, 02 na área de enfermagem obstétrica, 02 na enfermagem materno e infantil e 02 apenas na área de enfermagem. O protocolo apresentou avaliação satisfatória tendo em vista os percentuais de qualidade atribuídos pelos avaliadores foram maiores que (70,0%), alcançando 93,8% no domínio 1 - escopo e finalidade; 88,3% no domínio 2 - envolvimento das partes interessadas; 87,8% no domínio 3 - rigor de desenvolvimento; 89,5% no domínio 4 - clareza de apresentação; 83,8% no domínio 5 - aplicabilidade; e 75% no domínio 6 - independência editorial. Os juízes incluíram comentários e sugestões de mudanças sobre escrita e estruturação gráfica do protocolo, além de questões sobre aplicabilidade nos serviços, e todas foram acatadas. Conforme avaliação dos juízes, o conteúdo abordado no protocolo apresentou informações relevantes para a prática interprofissional na assistência à puérpera; foi coerente com as necessidades da puérpera; e serviu como suporte de orientação à puérpera durante a consulta; os temas retratam aspectos-chave que devem ser reforçados; abordou assuntos necessários a serem discutidos com as puérperas na consulta; e, por fim, os especialistas recomendaram a aplicabilidade do protocolo no cotidiano da prática clínica.

Palavras-chave: Equipe Multiprofissional. Período pós-parto. Atenção Primária em Saúde. Protocolos Clínicos.

Voltar ao topoVoltar