Início do conteúdo

Violência familiar, recursos e estrategias de enfrentamento: representações dos idosos

RESUMO

Trata-se de uma pesquisa qualitativa, do tipo exploratória descritiva, pautada no materialismo histórico dialético, cujo objeto de estudo foi as representações dos idosos acerca da violência familiar, seus recursos e estratégias de enfrentamento. Este trabalho foi um produto do Mestrado Acadêmico em Saúde da Família pela RENASF (Rede Nordeste em Saúde da Família) e foi submetido ao Comitê de Ética em Pesquisa da UECE (Universidade Estadual do Ceará) sendo aprovada conforme parecer de número 1.574.484. Teve como participantes 14 idosos clientes de uma Unidade de Atenção Primária a Saúde (UAPS) no Município de Fortaleza/CE, Brasil, situada no âmbito da Secretaria Regional de Saúde (SER III). Utilizamos como instrumentos para coleta dos achados o formulário de caracterização dos participantes e a entrevista semiestruturada, e os dados obtidos foram submetidos à Análise do Discurso, conforme orientação de Fiorin. Foram identificadas as seguintes categorias empíricas: o idoso e o envelhecer na família e sua correlação com a violência, a experiência do idoso com a violência familiar: subordinação e resistência e o idoso e a violência familiar: recursos e estratégias de enfrentamento. Os achados demonstram que a família é uma prioridade para os idosos e, embora reconheçam as mais variadas condutas de violência no cotidiano da família, tendem a preservá-la. Dentre as múltiplas estratégias de enfrentamentos do idoso contra a violência, destacam-se: evitar o confronto com o agressor, procurar apoio em outros membros da família e na própria comunidade. Porém, desconheciam os equipamentos da rede de atenção, revelando a insipiência das ações de saúde e proteção social, além de baixa divulgação das políticas públicas para o enfrentamento dessa problemática.

Palavras-chave: Idoso. Violência. Família. 

Voltar ao topoVoltar